terça-feira, 5 de junho de 2012

O VERDADEIRO CAMPO MINADO >> Clara Braga

Troquei de academia! Essa foi minha última tentativa de me autoestimular a fazer algum exercício. A academia em que eu estava antes era uma daquelas em que você vai, faz o circuito de meia hora e volta pra casa feliz, alegre, contente e saltitante. O único problema é que para mim não estava dando muito resultado, não sei se pela academia ou pela preguiça de ter que pegar o carro e ir lá para longe em um lugar onde nunca tinha vaga para estacionar.

Agora, na nova academia onde eu estou malhando, além de ter todas aquelas aulas de exercícios aeróbicos, tipo bike indoor e essas coisas que te fazem suar muito e ter a sensação de que você é “o cara” da academia, fica na comercial da quadra onde eu moro, e quem mora em Brasília sabe que isso significa que com uma caminhada de 5 minutos eu estou na academia, já é o aquecimento!

E foi justo essa caminhada/aquecimento de 5 minutos até a academia que me motivou a escrever essa crônica. Quem mora em Brasília ou já esteve aqui por qualquer motivo deve ter percebido que aqui é uma cidade onde não dá para caminhar a pé, ou você tem carro ou conta com a boa vontade do transporte público, ou então é melhor ficar em casa mesmo. Além de ser tudo muito distante, a impressão que fica é de que não temos calçadas suficientes para uma caminhada até um lugar um pouco mais distante.


Por sorte existe calçada do meu prédio até a porta da academia, posso até cortar caminho por baixo de um prédio ou outro, tropeçar em uma calçada um pouco desnivelada, mas não posso dizer que ela não existe. E de vez em quando bate até um saudosismo, pois o caminho para a academia era um dos que eu fazia com o meu cachorrinho quando ele era vivo.

Claro, quando eu passeava com meu cachorro eu ia pela calçada e ele pela grama, e é isso que acho que falta para alguns moradores da minha quadra entenderem. Sei que em Brasília não somos acostumados a andar, mas algumas pessoas ainda se aventuram ou realmente precisam caminhar por não terem outro meio de transporte. Então você, dono de um cachorrinho lindo que só usa a calçada para passear com o cachorro, todo o resto você faz de carro, entenda uma coisa: a calçada da quadra já é estreita, mal passam duas pessoas uma do lado da outra, ao redor dessa calçada tem uma grande área verde, onde as pessoas não passam, pois é feio pisar na grama. Ou seja, as necessidades fisiológicas do seu cachorrinho lindo vão ficar melhor na grama, onde elas ainda podem servir de adubo, do que na calçada, onde todos estamos tentando caminhar tranquilamente, mas se não ficarmos atentos vamos acabar chegando ao nosso destino com um belo cocô de cachorro grudado no sapato.

Eu não sei quando as leis mudaram, não sou ligada nessas coisas, mas na minha época dono que não tirava o cocô que o cachorro fez da calçada era multado! Lembro que na época achei exagero, não achava que era necessária uma lei para isso, achei que as pessoas, já acostumadas a viver em sociedade, iam pensar no próximo e evitar que a calçada virasse um verdadeiro campo minado. Bom, me enganei feio.

Partilhar

Um comentário:

Eduardo Loureiro Jr. disse...

Clara, como canta o Luiz Gonzada, tem "coisas que, pra mode ver, o cristão tem que andar a pé". :)