quinta-feira, 15 de abril de 2010

PROVA E RECOMPENSA >> Kika Coutinho

Algumas religiões dizem que a vida é puramente prova e recompensa. Você passa por provações e é recompensado depois. Como na escola: Fez a prova, passou, ganha nota 10 e sai de férias. Simples assim. Não sei se essas religiões estão certas no que diz respeito à vida como um todo, mas, com relação à maternidade, eu diria que acertaram em cheio.

Filho é pura lei de prova e recompensa.

Você passa uma noite em claro com seu bebê. Prova. Das mais duras. Quase amanhecendo e, de repente, ele te abre um sorriso enorme. Recompensa. Pronto.

Você aguenta horas com ela no colo, tentando fazer dormir e se perguntando se essa é a melhor forma, se é isso que a encantadora de bebês recomenda, se foi isso que a sua amiga fez, se era aquilo que a manicure ensinou. Será? Será? Quando consegue, enfim, você deita cansada, se perguntando por que a sua neném não obedece os livros, porque ela é assim, porque eu sou assim, será que um dia isso vai passar, meu Deus, o que vai ser de mim, ela vai acordar daqui a duas horas, socorro. Prova, ai que prova difícil. De repente, ela dorme uma noite toda. Você acorda com um chorinho e já é dia claro, uau, que alegria. Dormiu com a prova e amanheceu com a recompensa.

Você passa dias e dias ensinando o bichinho a mamar no seu peito, sofre com as rachaduras no bico do seio, acha que nunca vai conseguir, até que, um dia, ele puxa direitinho e o peito parou de doer. Melhor ainda quando o pediatra diz que tá engordando super bem. Plim, plim. Recompensa duas vezes.

Você resolve que vai ensinar sua filhota a dormir no berço. Fica lá, ao lado, debruçada, fazendo shh ou cantarolando. Conforme vão passando as horas, vai batendo o desânimo, o sono, o cansaço. Dói a coluna e a consciência: Será que era isso mesmo? Será que não é melhor continuar no colo? Será que pego? Será que saio do quarto? Deixo sozinha, chorando? Prova, prova, prova. De repente, em um instante, ela dorme; profuuundo. Uma alegria vai te invadir, não é? Parabéns: recompensa.

O bebê não faz cocô, chora de cólica, se torce e retorce. Dá-lhe choro, colinho, bolsa de água quente. É madrugada e você está no google: “Cólica + bebê”. Te dói a dor da criança, e o seu cansaço. Vamos tentar a massagem de novo? Shantala, shantala, eu tenho um livro de shantala, onde estava mesmo? Ai, meu reino por um cocô quando: prrrrrrrrr. Eba, recompensa fedida junto com risadinha gostosa.

Choro e sorriso, reclamação e abraço, cansaço e gargalhada. Prova e recompensa. Dor e alegria, desafio e conquista. A primeira febre e a primeira palavra, o primeiro antibiótico e o primeiro passo. Prova e recompensa.

Pode demorar, pode não ser instantâneo, mas a matemática funciona. Ora mais provas, ora mais recompensas. A vida me parece justa, mesmo que seja de madrugada... O dia não tardará em raiar, recompensa à vista...

Partilhar

Um comentário:

Eduardo Loureiro Jr. disse...

Kika, pra mim as recompensas têm dia certo. Isso mesmo: quinta-feira. :)