domingo, 22 de novembro de 2009

ENCHIMENTO >> Eduardo Loureiro Jr.


Para um homem, é difícil acreditar que o tamanho do pênis não importa. E eu só acreditei porque comprovei na prática. As mulheres que tive nunca reclamaram do tamanho do meu pênis, embora eu não o considere grande. Claro que uma ou duas delas queriam que o pobrezinho chegasse a regiões que ele jamais alcançaria sem algum tipo de prolongamento artificial, mas nada que abalasse minha auto-estima nem o prazer delas.

Mesmo com essa insegurança, que parece ser comum a muitos homens, nunca me ocorreu fazer com que "ele" parecesse maior do que realmente é por qualquer outro meio que não fosse o natural: a excitação. Mesmo sem ser gigante pela própria natureza, meu companheiro de cama costuma ficar apertado dentro da calça ou do calção, e seria cruel apertá-lo ainda mais colocando algum tipo de enchimento.

Para mim, a principal prova de que tamanho de pênis não importa é que tamanho de seio ou de bunda também não importa. Pelo menos não na hora H. Claro que na idealização, no sonho, o tamanho importa. Não vou mentir dizendo que seios fartos e bunda abundante -- com o perdão do pleonasmo -- não chamam a atenção nem despertam o desejo, mas, na hora do vamos-ver, existem coisas mais fundamentais ao prazer.

O importante é que não haja surpresas. Se vejo que a mulher tem peitos ou bunda pequenos, já vou para a cama considerando isso. Difícil é quando, devido a algum tipo de enchimento, nós, homens, vamos para a cama com uma mulher que não tem metade do peito ou da bunda que aparentava. Dependendo do dia, a decepção beira a raiva e dá vontade de se masturbar com a calcinha ou o sutiã esponjado, bem na frente da mulher que nos enganou.

Mulheres com pouca bunda e com pouco peito, vocês não precisam fingir o que não são. Há bundas e peitos lindos de todos os tamanhos e tenho certeza de que há homens capazes de reconhecer sua beleza. Vocês, que reclamam tanto da infidelidade masculina, hão de convir que aparentar peitos e bunda maiores é uma traição: ao outro e a si mesmas -- como são todas as traições. Então realcem seus atributos de outra maneira. Peitos e bunda, mesmo pequenos, podem ser muito atraentes com o tecido certo, com a cor apropriada. Nós, homens, queremos amar vocês, e não os seus enchimentos.




Partilhar

18 comentários:

C. S. Muhammad disse...

Sexo e crônica num domingo de manhã (estou "3 horas atrás"); excelente combinação. Como não fumo, vou já tomar meu café. :)
Adorei a constatação da "traição" do enchimento. Engraçado, sou do tempo em que peito pequeno era sexy. Sortuda!

fernanda disse...

acho que a decepção que vocês homens sentem ao perceber que aquilo não era bem aquilo é a mesma que nós mulheres sentimos ao perceber que o cara só queria te comer (c/ perdão do vocabulário). eu sei que o problema é todinho meu, mas eu sou daquelas que idealizam, não um pênis gigante, mas um sentimento. e assim eu vou, me iludindo por aí. porém, honestamente. sem enchimentos...rs.

ah, e vc há de convir. melhor perceber que tem algo faltando, ao ver a pessoa nua, do que se supreender com alguma coisa sobrando naquela cena...kkkkkkkkk

gosto dos seus textos. abraços!

Tay disse...

Achei seu blog por acaso e agora venho todos os dias para ler seus textos. Adorei.

Super beijo

Tay

Eduardo Loureiro Jr. disse...

Como estava o café, Carla? Se você o tomou enquanto lia o jornal, talvez tenha lido aquela notícia de que certas coisas nunca saem de moda, logo você continua uma sortuda. :)

Grato, Fernanda. Se você estiver desejando um sentimento gigante, vai se decepcionar mesmo. Mas se valer um sentimento tamanho normal, tenho certeza de que há muito homem por aí. Aliás, não sei se são só meus amigos, mas tenho visto muito mais homem do que mulher com sentimentos gigantes ultimamente. :)

Bem-vinda, Tay. Eu escrevo aos domingos. Nos demais dias, tem mais gente boa. Confira!

fernanda disse...

ah não, eduardo. eu não tenho grandes pretensões. afinal, cada um dá o que tem e eu não posso exigi muito das pessoas. qualquer sentimentozinho serve. como diz o arnaldo antunes, "com tanto sentimento deve ter algum que sirva". (mas se vc quiser me apresentar aos seus amigos, tudo bem...hahahaha).

mas hj eu vim aqui falar de outra coisa. coincidentemente, ontem me mandaram por e-mail uma crônica sua que eu não conhecia. "minhas mulheres de libra". que golpe baixo, você sabe bem que librianas não resistem a elogios...rs.
eu, libriana do fim de setembro, fiquei toda toda, encaminhando para as amigas de outros signos...rs. muito obrigada!

Cláudia disse...

Eduardo, como sempre você seu texto é impecável! Parabéns e obrigada por valorizar a beleza real!

Teresa disse...

A Fernanda falou o que eu estava pensando. E o problema não é o tamanho do sentimento em si. É que o sentimento muda drasticamente entre o "antes" e o "depois". Quando isso acontece, a conclusão que a gente tira é que o sentimento de antes estava bem maquiado.

Eduardo Loureiro Jr. disse...

Combinado, Fernanda: lhe apresento meus amigos. :) Agora, dá pra manter "Minhas mulheres de Libra" só entre as librianas pra não gerar ciumeira geral? :) (Brincadeirinha, pode divulgar à vontade.)

Grato, Cláudia.

Teresa, você já pensou — vendo pelo lado bom — que o sentimento "maquiado" pode ser a vontade de agradar? Às vezes a expectativa feminina é tão alta que a gente tenta ficar à altura, mas não consegue por muito tempo. E, brincando um pouco, eu pensei que vocês gostassem de maquiagem. :)

Teresa disse...

Oi, Eduardo,
o mesmo pode ser dito sobre os enchimentos que as mulheres usam: elas querem agradar! Você ficou interessado, não ficou? Só que a decepção foi grande depois que viu que era só enchimento, não foi? Assim é com as mulheres quando o sentimento se revela diferente no dia seguinte da transa. Mas aí, já era, né? Vocês ainda têm a opção de vestir as calças e ir embora assim que descobrem a farsa.
Eu entendo, na verdade: se vocês dissessem a verdade antes(olha, eu só estou a fim de transar com você uma vez, mas nem vou pegar seu telefone porque certamente não vou querer te ligar) teriam muito menos sexo. Assim como uma mulher cujos seios não se enquadram no padrão de beleza vigente. O princípio é o mesmo.
Não liga, não, andei desempoeirando umas decepções antigas e estou meio amarga hoje, mas volto com elas já-já para a prateleira. E não curto maquiagem tanto assim. Mas sou minoria, eu sei.

Sam Green disse...

Aaahh Teresa, vocês também têm a opção de colocar o enchimento novamente e ir embora.
E, olha, eu tenho 20 anos, faço parte da geração "quase atual", e adoooroo uma mulher natural e autêntica!
Viva os seios pequeninos! hauhauhua. Brincadeirinha, mas é verdade.
E, Eduardo, mais uma vez, PARABÉÉÉNNS! Cara, você é muito criativo. Adoro os seus textos. Os seus e os do Felipe Netto. Rs.
Grande abraço!

Eduardo Loureiro Jr. disse...

Teresa, pode desempoeirar à vontade. :) É um prazer ler comentários inteligentes.

Grato, Sam.Vamos criar uma associação pró-MUNA (Mulheres Naturais e Autênticas)? :)

Sam Green disse...

Gostei da ideia. Tô dentro! kkk.

Cláudia disse...

Eduardo, seguinte... Eu como boa geminiana fiquei curiosa com o seu texto "Minhas mulheres de libra". Claro que procurei e li. E gostei. E pensei. Que tal uma inspiração destas para escrever sobre as mulheres de gêmeos?? (percebeu o ciúme?) rs É que o texto é muito lindo! Sorte das librianas, especialmente as suas.

Eduardo Loureiro Jr. disse...

Pois é, Cláudia, de vez em quando penso nisso, até em fazer um livro com textos para as mulheres de cada signo. Mas com as geminianas, por exemplo, não tenho muita experiência. Mulherio escorregadio esse de Gêmeos. :)

Cláudia disse...

Será, Eduardo? Não me considero escorregadia... Deve ser meu ascendente. rs Fiquei curiosa de novo... Vou prestar mais atenção. Depois te conto.

Debora Bottcher disse...

Que alívio ler isso! :))
Beijo.

PROJEÇÃO DE MIM disse...

Gostei do que escreveu, e sem nenhuma hipocrisia acredito que bunda e peito td mulher gostaria de ter, mas que isso não é fator determinante em uma boa (...) não é.
Uma mulher de verdade, com olhar de "cabrita", com o algo mais, quando abra a boca antes e depois, com inteligencia...
Ela poderá ser alta, baixinha, seios fartos ou não...
O tamanho do brinquedo não importa, mas saber quem se é sim e como fazer...
Abç
Oriane

Eduardo Loureiro Jr. disse...

Pois é, Debora, retirar enchimento alivia. :)

Oriane, adorei seu humor. :)