Pular para o conteúdo principal

uma tarde quente de verão >>> branco


 
olho a praça
que está vazia
vazia de gentes
vazia de animais
não é sábado ou domingo
não existem motivos
para homens mulheres crianças 
ou cachorros de raça
estarem na praça 
nesta tarde quente de verão


olho as árvores estáticas
não sopra a menor brisa
bancos de madeira o bebedouro a fonte seca
os pássaros - ausentes -
a exceção é o vira-lata
estirado em sono profundo
- exceções -
o cão e eu na praça
nesta tarde quente de verão

olho as casas 
que circundam a praça
janelas trancadas portas trancadas
- silêncio nas casas - 
ao fundo da praça
a igreja
a pintura nova não esconde o tempo
sei que as senhoras estão lá dentro
com seus rosários rezam o terço e pedem intercessão
sinto pena
estão órfãs nesta tarde quente de verão

olho para a torre da igreja
e nela o sino
- também recém-pintado - 
lembro-me dos sons
repiques alegres avisando da quermesse
ansiosos a chamar para a missa
rotineiro nas horas
infalíveis e familiares
ouvidos muitas vezes
em outras tardes quentes de verão

olho novamente a praça vazia
enquanto ouço o toque do sino
pausado e grave
- pausado
grave - 
e penso que a partir de agora
o passado se inicia
o som do sino avisa - indiferente - aos fiéis
que o padre está morto
agora o eterno não estar 
nesta tarde quente de verão


©2010 do autor

foto marcus web
arte p.aint


Comentários

Carlos Eduardo disse…
A cadência repetitiva dos finais dos versos, o conteúdo trabalhado brilhantemente e achados como "a partir de agora o passado se inicia.." tornam essa poesia em algo grande. Digno de um mago das palavras.
Lucas disse…
Excepcional trabalho. Excepcional poeta!!!!
Ricardo Costa disse…
As pessoas não morrem, os poetas se encarregam de faze-las imortais. Gratidão!
Anônimo disse…
A visão do poeta. Achei bem realista. Adorei!
Márcio disse…
Esse é um daqueles textos que nos faz parar no tempo e começar novamente o dia de um jeito diferente. Nunca vou me cansar de ler.
Irani Siqueira disse…
Mais uma poesia linda, como
esta sendo linda essas tardes quentes de verão.... Magnífica! 👍🏾
Tereza Lima disse…
Impecável como sempre.É como assistir à um filme.
Walter disse…
Belos versos, bela poesia! Ouvi o sino da igreja. Obrigado meu irmão. Abraços
Anônimo disse…
É, estamos esperando nestas tardes de verão o início delas no passado não podemos perder as esperanças que voltem.
Vicente disse…
Bons dias sempre. Neste se expressa a solidão de companheiros?
Wanda Cursino disse…

Gosto muito dos poemas dos seus poemas!!! São modernos, cheios de encanto!!!
Unknown disse…
Parabéns Wilson

Elaine Franco disse…
Parabéns Wilson
Miriam Calfat disse…
Parabéns doce poeta! 👋👋👋
Anônimo disse…
Visualmente deslumbrante. Poeticamente arrebatador.
Elizeu dos Santos disse…
Caro. Você tem o dom de colocar imagens em palavras e poesia nas imagens. Obrigado por compartilhar.
Mauro Barbiere disse…
O poeta de sempre! Gosto muito.
Felix Chamorro disse…
Deslumbrante, magnífica. Branco.Abs.
Anônimo disse…
Parabéns. Lindo demais.
Zoraya Cesar disse…
Que final arrasador! Acho q pungente seria um bom termo. Pior que coincidiu com a morte de um Padre maravilhoso aqui no Rio essa semana. Mas seu poema foi uma homenagem em meu coração. Obrigada!
Albir disse…
Que beleza, Lord! Só resta seguir os passos da poesia pra ver o que você mostra.
Anônimo disse…
Grande poeta, querido amigo....tardes quentes de verão.... Belo!
Ana ou Hannah disse…
...é como assistir um filme... Nesse mundo novo que ainda estamos aprendendo a conhecer.
Márcia disse…
Vc escreve de uma tal maneira que consigo até sentir o vento.
Perfeito, vc tem esse dom de nos transportar com seus escritos.