Pular para o conteúdo principal

B R O BRO >> Paulo Meireles Barguil

Mais uma vez, chegamos no último quadrimestre do ano.


Em cada região, esse período tem suas características.


No Nordeste, uma delas é o acréscimo da temperatura e a consequente perda de vegetação.


Paradoxalmente, acontecem, também, a floração e a colheita de vários frutos.


A natureza é fascinante: o mesmo fenômeno proporciona acontecimentos antagônicos.


O primeiro desafio é identificá-los, lá fora e aqui dentro.


O segundo é aceitar que eles são temporários, o que pode ser motivo de alívio ou de desalento.


O terceiro é agradecê-los, independentemente do seu sabor, por estarmos vivenciando-os.


O quarto é, caso necessário, pedir e encontrar apoio para continuar a travessia.


Setembro pode ser amarelo, verde, azul...

Comentários