sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

ONDA >> Paulo Meireles Barguil


Na semana passada, foi anunciada a 1ª detecção de ondas gravitacionais, tal como previra Einstein há um século.

A explicação técnica desse fenômeno e as consequências para a Astronomia você encontrará em vários sites, mas não nesta crônica. :-)

Uma síntese do que entendi: quando objetos muito maciços interagem, em virtude da magnitude da força da gravidade entre eles, há uma produção de ondas que se propagam no espaço-tempo, as quais podem ser captadas.

Intriga-me, contudo, ainda não ter visto alguém relacionar isso com o fato de que, há milênios, vários povos, não sei quem foi o primeiro ou quem será o último, afirmarem que o Homem é composto de campos energéticos, os quais suscitam variadas interpretações e terapias.

Só continue a leitura se seu nível de misericórdia estiver razoável, pois ousarei redigir sobre algo em que me considero bronco.

Chacra, oriundo de chakra, em Sânscrito, significa roda de luz.

Não vou explicar aqui aspectos de cada chacra referentes a formato, localização, órgãos, glândula, elemento, cor, pedra, mantra..., pois isso é — ou deveria ser — uma crônica!

Irei, contudo, usufruindo da liberdade de imprensa, partilhar algo bem modesto que (creio) tem me ajudado a viver melhor.

O Homem, conforme razoável consenso, possui sete chacras, os quais estão relacionados a estados opostos: confiança-medo, criatividade-culpa, poder-vergonha, equilíbrio-pesar, sabedoria-mentira, conhecimento-ilusão, espiritualidade-apego.

Se quiser fazer uma rápida avaliação de sua harmonia energética, verifique em quais polos você tem vibrado, ou seja, que energia ressoa do seu organismo e, de alguma forma, é responsável pelo que acontece na sua vida.

Acredito que esse princípio rege todos os corpos celestes, independentemente de massa.

Identificar, em meio a tantos sons internos e externos, tais sentimentos, os quais geram pensamentos e comportamentos, numa ciranda indecifrável, é o grande desafio de cada pessoa.

Aliás, é o único.

As outras atividades são distrações, que podem nos ajudar (ou não) na nossa epopeia terrestre.

Se o seu nível de misericórdia estiver crítico, pule para última a frase, caso contrário, prossiga.
 
Eu também poderia narrar sobre a Aura, manifestação energética de um determinado corpo, que contempla quatro dimensões: física, emocional, mental e etérea.

Atração e repulsão são pistas interessantes sobre o que reside no nosso íntimo, sendo o exterior um intrigante espelho para se autodescobrir.

Para quem gosta de música sobre essa temática, partilho duas: Como uma onda, de Lulu Santos, e Eu sou a onda (composição e som).

Gostaria de prosseguir, mas meus créditos deste mês de dígitos no Crônica do Dia estão acabando.

Algo que ainda não gosto é quando alguém me diz: — Deixa de onda, Paulo!


Partilhar