quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

NÃO SEJA CHATO, POR FAVOR >> Mariana Scherma

Quando você estiver mal-humorado, contenha-se. Você se lembra da professora que dizia que uma batata podre estragava o saco inteiro? Pois é! Ao conversar com seus amigos, tente falar coisas agradáveis em vez de destilar todas as suas lamúrias. De repente, é melhor marcar com um terapeuta do que abusar do ombro amigo. Ser amigo não inclui abusos de chatices. Tá bom, às vezes inclui, mas só de vez em quando. Você é mãe e tem amigas sem filho? De repente, é uma boa não falar apenas da sua criança-mais-linda-do-munddo-cuti-cuti, viu!

Vai sair com alguém? Esqueça o celular na bolsa ou no bolo, converse olhando nos olhos, sorria mostrando os dentes. Suas redes sociais super podem esperar. Ah, e se estiver desesperado pra postar alguma coisa, segure-se: as pessoas não estão enlouquecidas pra saber o que você anda fazendo. A não ser que você seja o Barack Obama ou o Papa. E se for mandar uma mensagem ou fazer um comentário, por favor, desligue o caps lock. Caixa alta é grito e é chato — a não ser que você tenha levado a Mega Sena.

Você está empolgado com o resultado da academia no seu corpo? Que bom! Mas falar só disso enjoa: nem todo mundo é tão fitness assim. Aliás, se estiver na academia, pare de guardar o aparelho que não está usando, o mundo, infelizmente, não gira ao redor do seu umbigo localizado em sua barriga sarada. Ainda na academia? Por mais que tenha comido batata doce, não faça pum fedido perto dos outros. Aliás, não faça pum perto dos outros em lugar algum. Eca!

Em qualquer conversa, exercite a arte de conversar, não de apenas monologar sobre sua vida. Você é tão interessante quanto as outras pessoas são. Divida aí, meu amigo. Você viu alguém gordinho comendo o maior lanche do mundo? Não censure, você não sabe se essa pessoa teve um dia do cão raivoso. Se der vontade de divulgar a sua felicidade, faça isso com moderação. Eu aprendi que a alegria dura mais quando não se faz propaganda dela.

Quer ser politicamente correto? Seja pra você mesmo e não apenas nas redes sociais, aliás, não lote a timeline alheia com suas razões, explicações e demais blá-blá-blás. A vida é mais legal quando a gente é menos chato. Chatice às vezes pega, questione sempre seu nível de importunar os outros.

Partilhar

2 comentários:

albir silva disse...

Muito bom lembrar disso, Mariana. A gente se descuida.

Eduardo Loureiro Jr. disse...

Boa lembrança, Mariana. :)