SONATA DE UMA VIDA >> Paulo Meireles Barguil

Na madrugada, ao som de grilos e à luz de vagalume, a vida é bordada.

Na manhã, ao som de sorrisos e à luz de sol, a vida transborda.

Na tarde, ao som de buzinas e à luz de lâmpada, a vida escorre.

Na noite, ao som de choros e à luz de vela, a vida é recolhida.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

LUGARES ONDE NUNCA ESTIVE >> Carla Dias >>

CENAS DO QUE SE TEM PRA HOJE >> Sergio Geia

UM PAPO COM SÃO PEDRO E SÃO PAULO >> Sergio Geia