SONATA DE UMA VIDA >> Paulo Meireles Barguil

Na madrugada, ao som de grilos e à luz de vagalume, a vida é bordada.

Na manhã, ao som de sorrisos e à luz de sol, a vida transborda.

Na tarde, ao som de buzinas e à luz de lâmpada, a vida escorre.

Na noite, ao som de choros e à luz de vela, a vida é recolhida.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ESTRELAS E TROVOADAS NO MONTE - final >> Albir José Inácio da Silva

CHICO- ARTISTA BRASILEIRO >> Sandra Modesto

NÃO SAIA DAÍ >> Carla Dias