quinta-feira, 26 de novembro de 2015

ERA PRA SER. NÃO FOI >> Mariana Scherma

Você também deve se lembrar que, há nem 20 anos, as pessoas diziam que o Brasil era o país do futuro, que nossas crianças eram o futuro. Nossa biodiversidade, nossas riquezas naturais, a gente tinha potencial. O Brasil era tipo aquela criança prodígio do colégio. Ou aquela criança estrela de Hollywood que, assim que ficasse adulta, ganharia Oscar, Bafta, Globo de Ouro e cia. Ãham. Vai nessa.

O problema é que, para o nosso país chegar estrelando no futuro, as pessoas no comando, as empresas e tudo mais deveriam querer que assim fosse. Ao que tudo, indica esses governantes e demais fulanos do poder não o quiseram. Que futuro, o quê, eles devem ter pensado. Graças a eles, e à gente que votou neles (não estou me escondendo), nosso futuro virou fumaça. Muitas de nossas crianças mal são alfabetizadas. Nossa biodiversidade vai se esgotando pouco a pouco (obrigada, Samarco e suas parças).

Eu não vejo mais ideologia em partidos políticos ou, quando vejo, não acredito que eles vão conseguir governar. Governar tem se mostrado uma tarefa apenas para as pessoas sem alma. A justiça acontece só de forma seletiva (né, Eduardo Cunha?!). Os partidos políticos em que eu acreditava, muito por conta dos meus pais cheios de sonhos, estão falidos. Eu não sei se seria o caso de ensinar aos políticos o que é representar o povo. Quando foi que isso se perdeu? Governar virou a nova Mega Sena para alguns vários. Não é.

O futuro do Brasil era pra ser brilhante, mas nosso país virou o Macaulay Culkin das nações. Nossa biodiversidade foi embalada e se transformou em produtos de beleza com ar de ecologicamente corretos. Nosso sonho virou a maior ilusão. A fé acabou. A esperança está em extinção. Eu não sei mais em quem acreditar. Desculpa a tristeza. 

Partilhar

Um comentário:

Anônimo disse...

Prezada,
é SAMARCO, e não Samarcos (ou São Marcos, como fala a nossa presidenta).