terça-feira, 24 de novembro de 2015

NOVAS REGRAS E SUAS POLÊMICAS >> Clara Braga

Hoje tomei conhecimento de uma nova regra que as escolas deverão seguir, o que me fez lembrar de uma entrevista que assisti com o Gregório Duvivier. Na ocasião, ele contava sobre sua vida escolar e como um dia decidiu concorrer para ser uma dessas figuras de representante da escola, não sei dizer exatamente qual o cargo. Bom, mas isso não importa, o interessante é que ele contou que uma de suas ofertas, durante a campanha, era adaptar o horário do intervalo para que todos tivessem a mesma chance de chegar à cantina. Então, quem estudava nos andares mais altos da escola, teria alguns minutos extras para descer as escadas e não ser prejudicado com a fila que o impedia de comprar o lanche mais gostoso.

Achei muito interessante a proposta, afinal a hora do lanche e a fila da cantina são mesmo uma das maiores preocupações dos alunos. Porém, talvez hoje essa não fosse uma boa pauta para uma campanha, afinal novas regras estão chegando.

Refrigerante? Nem pensar!

Também esqueçam todo e qualquer tipo de fritura. A pipoca que parecia inofensiva? Só se não for industrializada.

Aquele chocolatinho para repôr as energias e adoçar a vida após o intervalo e a educação física? Nada disso! E aquele chiclete básico para tirar o mau hálito daquela cochilada durante a aula de matemática? Esquece, esquece e esquece!

Biscoito recheado, suco artificial, alimentos com alto índice de gordura saturada, tudo estará fora do alcance das mãos dos alunos. Nada disso poderá ser vendido nas cantinas, aquelas que ficam lotadas de crianças sedentas pela coxinha com Coca-Cola ou pelo hambúrguer transbordando ketchup e maionese.

Agora, só suco natural ou de polpa sem ser adoçado, frutas da estação, bebidas lácteas também sem açúcar, e salgado só se for assado.

Vai dizer que está errado? Não! Alimentação também faz parte da educação, e se a função da escola é educar, vamos lá, vamos cumprir nosso papel e oferecer uma alimentação saudável para o aluno. 

Porém, não vamos esquecer que a escola trabalha em parceria com a comunidade escolar, que inclui a figura de pessoas muito importantes mas que estão ficando cada vez mais ausentes, os pais. 

Se não houver um esclarecimento sobre essa mudança, sobre a necessidade e a importância da alimentação saudável, inclusive para um melhor aprendizado, de nada irá adiantar. Sabe o que vai acontecer? Os alunos passarão a não comprar mais lanche na escola, vão levar as mesmas opções não saudáveis de casa e nós continuaremos tirando sarro da Bela Gil que manda batata doce e fruta de lanche para a filha como se fosse ela quem estivesse errada! Não é irônico?


Partilhar

Um comentário:

Eduardo Loureiro Jr. disse...

Taí uma boa nova regra. :)