quinta-feira, 21 de agosto de 2014

O RECALQUE ACABOU COM A COMPAIXÃO
>> Mariana Scherma

Dizem muito sobre a falta de irmandade entre nós, mulheres. “Entre mulher, não há amizade sincera, só competição”. “Amiga mulher é falsa”. “Amiga mulher é fresca”. “Eu prefiro amigos homens”. Como se a grande benção do universo fosse nascer homem. Até concordo que tem mulher chata pra caramba, competitiva demais, mas também existem homens chatos, competitivos, frescos... Apoiar essa máxima de que amizade entre meninas não existe, pra mim, é dar sustentação a um machismo ultrapassado. As mulheres dirigem caminhão, táxi, trabalham fora (e trabalham em casa depois)... Enfim, ganharam o mundo, mas não sabem ser amigas verdadeiras? Ah, qual é!

Eu tenho poucas amigas, mas nós sabemos o que é amizade. Quando saímos à noite, a intenção é sempre dar risada, não disputar os homens do bar/balada nem conferir quem atrai mais os olhares dos caras no recinto, tipo leoas numa selva de um único leão. Jamais! Quando uma das minhas amigas está mal, eu faço o possível pra deixá-la mais feliz, não comemoro a desgraça dela (nem nunca o fiz). Com elas, a recíproca é totalmente verdadeira. Amizade vem do coração, não do órgão genital de alguém. É simples.

Por isso, fiquei magoada com algumas mulheres recentemente. Uma menina de 17 anos, no interior de São Paulo, foi violentada por dez sujeitos após a comemoração de aniversário da cidade. Faltou chão na hora de ler a matéria, sobrou indignação de como as pessoas podem ser cruéis. Qualquer estupro já é absurdo, mas dez contra uma... Quis muito mudar de planeta. Óbvio que a história chocou a cidade, mas nem todos ficaram a favor da jovem violentada. E isso é muito sério.

No vestiário da natação, frequentado por algumas dessas mulheres que desconhecem a amizade entre o sexo feminino, ouvi que a garota não havia sido violentada. Ela tinha consentido. Sério? Dez caras drogados a arrastam a um terreno baldio e isso é normal? Essa ideia surreal também estava na boca de outras mulheres da cidade. A falta de compaixão e de se colocar no lugar da outra pessoa é o que deixa esse mundo tão cão. Ser humano (sem hífen mesmo) é desses predicados que entraram em extinção. Sobram egoísmo e sentenças absurdas nas bocas das pessoas, como se coubessem a elas julgar quem não conhece.

Nós, mulheres, adoramos falar que sobra recalque nas inimigas, mandamos beijinho no ombro para as invejosas e, nisso, perdemos totalmente a noção de amizade, de carinho e de compaixão. Sentir inveja, rancor e competir são coisas mais naturais do que sorrir com a alma às outras. Eu me recuso a ser dessas que só enxerga o próprio umbigo. Ser mulher é bem mais que competir.

Partilhar

Um comentário:

Anônimo disse...

Caramba, amei o que vc escreveu, concordo em tudo q vc disse, estava lendo e balançando a cabeça, concordando com tudo, eu e minhas amigas somos assim, por mais q elas me irritem e eu tbm a elas, nós nos damos muito bem. Adorei ler o q vc escreveu, e com certeza o mundo ta cada vez mais desumano e horrível. Como isso pode ser uma coisa normal??? E pra variar a culpa é da mulher.