terça-feira, 5 de maio de 2009

O Borogodó das Gordinhas >> Claudia Letti

Foi observando as amigas solteiras e insatisfeitas com a sua vida afetiva (ou melhor, com a falta dela), que comecei a abrir o leque do meu "observatório" para tentar entender por que pessoas tão bonitas quanto interessantes, e que buscam realmente alguém pra namorar, continuam sozinhas. E, enquanto fui listando mentalmente as solteiras e as namorantes, percebi que as amigas gordinhas parecem estar sempre acompanhadas. A bem da verdade, não é de hoje que tenho essa cisma, amplamente fortalecida pelos suspiros de algumas das magras que, a cada vez que enxergam uma roliça bem acompanhada, não escondem a frustração em frases brincalhonas do tipo "e eu aqui, com tudo em cima... sem ninguém".

Diante deste quadro de Renoir, fui buscar uma paleta de homens variados para dar mais consistência à minha pseudoteoria, "entrevistando" 14 rapazes de diferentes faixas etárias e estados civis. A pergunta bedelhuda e sem rodeios "você namorou/casou ou namoraria/casaria com uma mulher gordinha?" rendeu 14 vezes sim, sem pestanejar. Nenhum dos "entrevistados" deixou de participar, parou pra pensar ou mesmo vacilou antes de responder. E todos, sem exceção, já namoraram ou casaram com mulheres gordinhas.

Então minha cisma não era totalmente infundada!? A segunda questão da "entrevista", que era: 'justifique sua resposta', foi ainda mais produtiva. Alguns rapazes disseram que a mulher precisa ser bonita. Tá. E que há gordinha bonita e magra feia. Ok, até aqui não temos ainda nenhuma novidade. Outros arriscaram dizer que as gordinhas são mais sensuais e outros, ainda, responderam categoricamente que elas são mais simpáticas e menos chatas do que as magras, especialmente (e a ênfase é deles) as malhadas. Hum, começava o esboço de um perfil. Nessa questão, quatro dos rapazes sugeriram que, como não chamam atenção pelo corpo, as gordinhas usam de simpatia e, geralmente, de um sorriso bonito, para fazer o contrapeso favorável nessa balança. No placar, a palavra vencedora foi "gostosa", e muitos deles afirmam que as gordinhas fazem tudo, "tudo mesmo" -- segundo palavras de um dos moçoilos --, com mais prazer.

Lembrei de Botero, outro pintor que privilegia formas femininas roliças, para não dizer formas com evidente substância, que ilustra esta crônica com sua Monalisa, e que declarou: "É importante saber de onde provém o prazer de contemplar um quadro. Para mim, é a alegria de viver combinada com a sensualidade das formas."

Então o sucesso das gordinhas é ter borogodó, é extrair da vida a alegria, os melhores sabores, seja de um prato de macarrão ou de uma dança do ventre? Pode ser. Prazer é uma palavra que combina com degustação e com calorias mesmo que o resultado seja uns quilinhos a mais. Quem se importa? Elas, as cheinhas, parecem não se importar e, desculpem-me os homens que acreditam que as meninas roliças se esmeram em sorrisos pelo contrapeso, mas o segredo é justamente o contrário. Elas é que estão seguras da sua beleza, ampla e não restrita a padrões ditados seja lá por quem. E sabemos que pessoas seguras e com auto-estima em dia geralmente são simpáticas, não se escondem atrás de atitudes defensivas e, consequentemente, sorriem mais. Não são sensuais por aprendizado ou pra chamar atenção, mas sim pela naturalidade com que sabem viver, sem culpa, o prazer de todos os desejos.

E as magras? Bem, pelas respostas masculinas, deu para concluir que, talvez, a exigência ou o perfeccionismo com que se cuidam para ter um corpo bonito e a seleção primorosa do que colocam no prato fazem-nas ser igualmente exigentes e seletivas na escolha de um parceiro. Ter vaidade e sentir-se bem é da natureza feminina, mas levar isso ao extremo pode deixar tudo meio sem gosto, incluindo aí a preferência por homens dietéticos, sem colesterol e sobrepeso, e, na hora da mordida... cadê o tempero? Pode ser isso ou nada disso? Realmente não dá pra saber.

Mas isso tudo é apenas teoria de um observatório (empírico, óbvio) e que foi montado sem puxar a brasa pra gordurinha de ninguém. Claro que minha "pesquisa" teve curta abrangência, já que foi realizada com um círculo pequeno de amigos e o mundo felizmente é grande, vasto e aceita todo tipo de gente. Portanto -- e vou até colocar um negrito aqui -- estou generalizando e toda generalização tem falhas abundantes. Estou dividindo uma sensação pessoal, reforçada por tempo de observação, e, como toda sensação (que é muito feminina, aliás), peca por carência de argumentação concreta. Tenho amigas magras muito bem acompanhadas, claro. E eu mesma sou casada e não posso ser considerada gordinha, embora precise confessar que sou como a grande maioria das mulheres: estou sempre correndo atrás de dois quilos a menos. No mínimo.

De todo modo, eu não poderia concluir esta pretensa "teoria" sem compartilhar também três das respostas que extraíram o melhor dos meus sorrisos - que não é um sorriso tão iluminado quanto o das amigas gordinhas, mas dá pro gasto:

F., casado, 40 anos, disse que sua resposta seria a mais piegas e sem graça do mundo. Mal sabe ele que esta é "a" resposta: "Sem dúvida que namoraria/casaria, desde que eu estivesse apaixonado por ela."

R., casado e cuja primeira paixão foi por uma gordinha, respondeu que "tem que ter um rosto bonito ou singular, porque o rosto é a parte do corpo de uma mulher que se vê 90% do tempo, especialmente pra quem gosta de um bom papo."

E, finalmente, a que mais me encantou foi de C., 35 anos, separado, que respondeu até com música: "amo tanto e, de tanto amar, acho que ela é bonita".

Podem suspirar, meninas. Existem homens apaixonantes e apaixonáveis para todos os gostos. Resta saber se as mulheres têm essa mesma predisposição. O que me deixa com vontade de fazer outra pesquisa, agora com elas, para que me respondam a seguinte pergunta:

"Você aceitaria ganhar 5 quilos, se junto com eles viesse o homem dos seus sonhos?"

Será que obteríamos o mesmo número de sins? Mas, daí, já seria outro papo.



Partilhar

41 comentários:

Gladis disse...

Ameiiiiii..eu tenho borogodóooo....não eu não engordarei 5 quilos se junto viesse o homem dos meus sonhos....ganhar ou perder peso só por mim, mais ninguém...saudades do cotovelo no balcão...conversas de horas e de madrugadas e pra não fugir do tema do caldo de feijão...e que venham ou vão os 5 quilos!!!

Raul Lessa disse...

Ola, minha segunda opção mais querida :
Adorei seu texto, ótimo como sempre. E a abordagem muito,mas muito interessante, embora carente como vc mesmo disse, de maior embasamento científico....
Mas acredito que, no empírico vc achou o real. Namorei dezenas e me casei duas vezes no passado com mulheres magras e de acordo com os figurinos de revista.Eram minha única escolha , sempre.
Até que amadureci, passei a dar valor ao que realmente tem valor e me apaixonei e me casei com uma não gordinha, mas pelo menos mais cheiinha do que as de revista de moda , com quem completarei dia 23 agora 11 anos de casado.
Da minha observação pessoal concordo com vc em :
1-As magras, em geral, são chatas, porque pensam demais em ficar magras , assunto convenhamos absolutamente irrelevante.
2-Esta preocupação excessiva com estar na moda e in (para elas), fazem-nas esquecer qde que o importante na vida é ser feliz e que nós homens , estamos realmente pouco nos lixando para dois , tres ou cinco quilos a mais na mulher que amamos de verdade. Como esperamos que elas tbem não sejam pequenas demais para se preocuparem com nossas barriguinhas mais salientes ou cabelos se despedindo...
Somos humanos, normais e consequentemente sujeitos a estas pequenas imperfeições.
Recém saído de uma UTI onde quase que fui, descobri que envelhecer afinal, não é tão ruim assim, se compararmos com as demais opções....
Fico com a minha cheiinha querida e minha barriguinha tbem.
Beijoca

Eduardo Loureiro Jr. disse...

Querida Claudia, foram muitos sorrisos ao ler sua bela crônica. E uma só tristeza: por que eu não fui entrevistado? :(

:)

Patricia Daltro disse...

Claudia, hoje amanheci precisando de sorrisos, e foi maravilhoso ver ali, nos meus favoritos, seu nome! rs

Entrei correndo, pois sabia que seu texto sem dúvida, traria em mim as sensações precisadas e não errei, mais uma vez seu texto me fez sorrir, talvez por ser, também, eu portadora desse borogodó, rs.

Carla Dias disse...

Ah, Claudia... Ler você me deu um quê de borogodó ativo, depois de andar séculos dorminhoco. Gosto muito da forma como você observa a vida e depois fala dela em seus textos.

Ricardo Paes disse...

Como sempre, te ler é uma delícia - das que se experimenta com a leitura de uma receita que já é gostosa pelos ingredientes que descreve. Você é dessas combinações de beleza, simpatia e talento que deixa qualquer admirador permanentemente embascado. Sobre o tema, eu sou renascentista, absolutamente afeito a estéticas não permitidas nas passarelas e revistas, onde grassam (sem o duplo sentido que o italiano dá a esta palavra!) a anorexia e uma magreza constrangedoras. Então, concordo com tuas percepções e a dos entrevistados no que ultrapassam o mero senso comum e arranham de leve a quase realidade científica do fato de que gente feliz se expande, com um sorriso ou um gozo - tanto faz! Um beijo saudoso do amigo,
Ricardo Paes

zel disse...

eu, como faço parte da categoria GORDUCHAS, só tenho a concordar :)

não sou linda e sou bem gorducha e sempre consegui namorar / ficar / comer todo mundo que eu quis.

o "segredo" é, definitivamente, se sentir bonita e poderosa. quando você se sente, você é.

beijo, loveyou, dear.

r a c h e l disse...

Pode mandar os 5 quilos. Agora. :)

Belo texto querida!

Bjo,

Raquele Braga disse...

Excelente!!!!!! Veja o meu caso...
Pesei 93kg após duas gravidezes ainda nos meus 27 anos. Desde lá venho me cuidando para emagrecer, por uma questão de saúde e auto estima. Tenho hoje 64kg, bem malhados, e controlo a alimentação pq não quero ser hipertensa ou diabética como mamãe. Não almejo ser capa de revista até pq a gostosura ainda não saiu totalmente de minha barriguinha, como lembrança ainda daquele tempo. Mas concordo que só um corpo malhado não adianta. É preciso algo mais, que está na alma, no sorriso e no jeito de ser. Sensualidade é algo nato, não só dos esbeltos. É algo natural daqueles que se amam e são felizes e seguros de si. Estou feliz pq acabei de perceber que estou no lucro!!!! Por ter sido gorducha, ainda continuo achando que simpatia, bom papo, inteligencia, leveza e alegria, alidados a um bom prato de comida e uma boa bebida valem mais que uma série de academia!!! E dessa "combinação" eu jamais abriei mão, afinal depois eu corro atrás do prejuizo calórico rs rs rs.
O importante é nao me tornar uma magrela de alma, chata e amarga que recusa desfrutar a companhia de pessoas queridas e pratos deliciosos por culpas calóricas!!!! Mais vale manter a alma e o sorriso "gorducho" no rosto!!!

Ana Guerra disse...

Queridíssima, ameiiii! E que condiçãozinha difícil essa do final, hein?! rsrs! Mas Ok, aceitaria sim! Hahahah! Beijo enorme, Ana Carol

F. disse...

Resta saber de que tipo de homem estamos falando, neh? Tem os barangos que pegam qualquer coisa pois nao tem nem autoconfianca pra estar com uma mulher mais bonita e magra e subconscientemente baixam seus padroes de beleza. Aih eh ate bom que as gordas retirem estes do mercado, mesmo.
Eu nao pego qualquer um, e prefiro estar magra a estar gorda.
Um cara ja trocou a namorada gorda por mim qdo estava no meu menor peso.
Nada a ver.

Cristiane disse...

Adorei o texto, Cláudia!
Tenho um exemplar masculino em casa que, certamente, responderia sim à sua enquete, nas várias modalidades, mas... no "vamo ver" não é bem assim. Vive sugerindo gominhos e músculos salientes.

Quanto à enquete: "você aceitaria ganhar 5 quilos, se junto com eles viesse o homem dos seus sonhos?" O problema não seria ganhar 5 quilos, mas perdê-los quando o "homem dos meus sonhos" cismasse com as coxas da Maurren Maggi ou com o físico da Jaqueline do Vôlei. Aí, minha amiga, é que o bicho pega! E eu quero ver que homem responde sinceramente à esta questão ou, que mulher resiste ver o seu "homem dos sonhos" babando diante da televisão.

Beijocas

Letti disse...

Gladis, nós queimamos as calorias do nosso caldinho de feijão, dando risada. Etalelê que isso é bom demais, né!? Beijo!

Raul,essa sabedoria esteve sempre aí, que eu sei. Em algumas pessoas, como você, a idade é como peso: conta sempre a favor! Beijo grande!

Eduardo, seria complicado entrevistar você aí na Itália - lugar onde, convenhamos, está cheio de mulher bonita. E com carne. :) Baci!

Patrícia, pois sorria bastante menina. Borogodó é pra quem pode e não pra quem quer. Beijo, linda!

Carla, E precisa mais, além do borogodó que você tem com as palavras? Beijo, moça querida.

Letti disse...

Ricardo, guardei um pedaço seu, na verdade uma poesia, aqui comigo:
"gente feliz se expande, com um sorriso ou um gozo".
Você sintetizou 2 laudas minhas em uma frase de beleza ímpar. :)
Beijo grande, querido!

Zel, você não vale! Seu jeito não dá espaço pra notarmos gordurinhas. É muito borogodó, menina! :) beijo grande!

Rachel, os 5 quilos são só a aposta no desprendimento, você sabe. Então, acho que já estamos em contagem regressiva. :)) beijo!

Raquele, você, como o Ricardo, sintetizou em uma frase o que eu levei uma crônica pra expressar:
"simpatia, bom papo, inteligencia, leveza e alegria, aliados a um bom prato de comida e uma boa bebida valem mais que uma série de academia!!! E dessa "combinação" eu jamais abriei mão".
Isso é borogodó de primeira linha! :) Bom te ver por aqui. Beijo grande!

Anselmo disse...

Adorei o levantamento e o resultado da teoria. bjs

Letti disse...

Ana Guerra, Nada, menina, ganhar 5 quilos é mole! O complicado é ganhar o homem dos sonhos. Adorei ver você por aqui, viu!? Beijo grande!

F, estamos falando de 14 homens legais, bonitões, inteligentes e interessantes. Com todos esses "requisitos", não poderiam deixar de ser auto confiantes, creia.

Cristiane, mas no "vamos ver", a Maurren Maggi ou a Jequeline do vôlei encheriam a bola do homem dos sonhos? Será? Acho que as formas perfeitas cabem bem na tv, nos devaneios fantasiosos, mas o lado da cama, melhor preencher com excesso de carne e nenhum photoshop, né? (Tenho um moço aqui em casa que é mais pretensioso, a baba é pela Charlise Therone. Tsc.)
:) beijo grande!

Anselmo, é levantamento empírico, tá? Que fique bem claro. A gente se diverte com qualquer assunto, só fica mais complicado quando é levantamento de peso. rs Beijo!

Juliêta Barbosa disse...

Claudia,

Definitivamente, as suas gordurinhas estão no lugar certo. Pense num texto leve, inteligente, bem escrito... Enxuto! Seu livro “Onde não se responde” é o espelho do seu estilo natural de escrever. Parabéns!
Obs: Escreva mais vezes, menina, você faz falta!

Marisa Nascimento disse...

Ah, linda Claudia! Voltar a comentar seus textos com um desses é para engordar qualquer par de olhos de magras e gordas leitoras. :) Você é incrível!

Rudney disse...

Claudia, mais uma vez, sua crônica está fantástica.
Outro dia ouvi um comentário de um psicanalista que disse:
" a beleza externa é distante, ou seja, se vê de longe, porém a beleza interna tem que se chegar bem perto".
Concordo plenamente, por isso é que as gordinhas, simpáticas e lindas de rosto, como dizem, estão sempre abertas para serem conhecidas. Elas não tem nada de "fake" e por isso não tem medo de se entregar numa relação, conversa, etc. Pode apertar que é natural.
Um pedido: faz uma crônica dos gordinhos ou pelo menos como um barriguinha ?
Como esta crônica das gordinhas, tenho certeza que vai levantar o moral de muita gente, inclusive a minha. bjs

Juliana disse...

e eu que sou gordinha e nada simpática, bem antissocial até. digo que a vida foi difícil, mas estou acompanhada. mas pensando bem acho que foi numa das épocas menos ranzinza que peguei meu peixe hahahaha

Carlos Verdini Clare disse...

Claudinha,

A sua crônica está ótima e é muito realista! Concordo com a sua linha de pensamento quando diz que as mulheres aficcionadas pela perfeição física, também se tornam exigentes em suas escolhas e, frustradas com homens sarados e vazios, acabam sozinhas.

Estou orgulhoso por ter sido escolhido pela "resposta que mais te encantou". Encantar-te é uma dádiva!

Aproveito para comentar o comentário da CRISTIANE:

Guria, os homens sempre irão babar pelas mulheres lindas e perfeitas da tv, pois isso é cultural! Aprendemos a ser assim desde a infância, quando nossos pais e tios nos cobram uma postura masculina. Porém, boa parte das boazudas da tv só servem para uma foda... E só! Um homem maduro não escolhe sua parceira pela coxa e sim, por uma conteúdo inteiro! Não são com as coxas que discuto o último filme do Wood Allen e também não são elas que me deixam orgulhosos pelo sucesso profissional ou pela humanidade da alma.
Você acha que um homem sente mais orgulho em estar casado com uma médica bem sucedida ou com a bunda entrevistada no Domingão do Faustão?!
A questão aqui não é estar gordinha ou magrinha, nem ter cabelos crespos ou lisos, muito menos ser dentuça ou ter um sorriso colgate... A questão é: Quando existe amor pela pessoa com quem nos relacionamos, não importa a forma, pois sempre a veremos bela.

Confie no seu taco e, quando seu marido te pedir mais músculos, peça a ele um pênis maior!
Ops! Acho que não devia ter dito isso...

Letti disse...

Julieta, que bom que você gostou (do livro e da crônica). Fico feliz demais da conta, viu!? Escrever (mais) é solução, nunca problema, que pega, às vezes, é falta de assunto mesmo. Um beijo carinhoso pra você!

Marisa, eu já estava em crise de abstinência das suas visitas e comentários. Bom demais te "ver" de novo. beijo!!

Rudney, adorei o "pode apertar que é natural". Hm, tentadora a idéia de escrever sobre as barrigas masculinas. Na verdade, acho que daria pra gente dar um passeio nos tipos: tanquinho, pêra, maçã... rs
Beijo enorme procê!

Juliana, uma gordinha anti social? Coisa rara, hein? Mas se você encontrou o consorte numa época bem humorada, tá ótimo - eu também acho que bom humor só faz bem, em todos os aspectos da vida. :)

Carlos, frustração com gente vazia é o xiz da questão, você disse tudo. Eu é quem estou orgulhosa de ter amigos bacanas como você e que participaram da minha, nossa, pesquisa empírica. beijo grande!

Vera R. S. Bandeira disse...

Como diz o meu Nelson, que é muito espirituoso, " quem não gosta de bordas de catupiry..." é isso aí Claúdia, a beleza é muito mais um estado de espírito do que o peso acusado na balança. bjo e parabéns Vera Bandeira

Bel disse...

Bom, quanto à sua questão final... eu respondo o contrário:
Quando "ganhei" (ou "fui ganhada") o homem dos meus sonhos, ganhei em um ano quase 10 Kg.
Sabe qual é a minha resposta quando comentam que eu estou GORDA???
"FELICIDADE ENGORDA, VOCÊ NÃO SABIA?"

Claro que eu queria voltar ao meu peso de um ano atrás, mas isso não é o mais importante. "O meu coração me diz: fundamental é ser feliz!"

[margarida] disse...

Clau, minha querida! Sei que vou "chover no molhado"... mas que MARAVILHA de crônica, menina!!

;-)

Eu estava precisando ler isso, sabe?
Beijo e saudade enorme!!

Nícia Verdini Clare disse...

Cláudia, adorei a crônica por focalizar um problema atual: a obsessão pela perfeição do corpo. Saber que a resposta de meu filho foi a que mais a encantou me deixou feliz e orgulhosa do homem que criei com amor.

Cristiane disse...

Carlos,
justiça seja feita, meu marido é um anjo! Que me mima além da conta. Vou dizer como a Ana (Coutinho) ele é o meu bilhete premiado =)
Talvez o maior mérito do texto da Cláudia foi ter mostrado que a disputa fica mesmo no campo das mulheres. Vocês, homens, nossos adorados companheiros de jornada, se importam mais com outros "recheios". Ao que tudo indica, o invólucro nem sempre conta na hora da escolha. Quem vai para a arena com inseguranças, medos, comparações e chatices somos nós mulheres e, pior, muitas vezes usamos os homens como desculpa para nossas próprias defesas.

Um abraço,

Cristiane

Carlos Verdini Clare disse...

É isso aí, Cristiane! As mulheres cismam com "defeitos" que os homens nem enxergam.
Para ilustrar, confesso que sempre comentei com meus amigos sobre a paranóia feminina da celulite... Só tem celulite quem tem bunda! Certamente, os homens preferem que suas mulheres se mantenham redondinhas (e com celulite) do que se tornem retas e lisinhas.
Mas essa paranóia não é exclusividade das mulheres, não! Os homens também têm suas inseguranças a respeito da calvície, barriga tanquinho, tamanho do pênis e por aí vai... Valores físicos que pouco importam pra nossa formação como ser humano.
...
Siga feliz e que seu relacionamento continue sempre carregado de atenção e carinho.

Anônimo disse...

Minha linda, to atrasada nas leituras,mas consegui ler o seu "borogodó" AMEI! Voce é mesmo DEMAIS! Saudades miguinha, Laura Frossard

Claudia Hoeller disse...

Claudinha...

Amei tua crönica, parece que voltei no tempo e vejo vc falar...A forma inteligente de observar e questionar a vida e depois transformar em textos com uma leitura gostosa e natural...parecido com a lembrança que tenho te de vc! Quero mais...

Um bjo

Letti disse...

Vera, amei, amei as "bordas de catupity". Coisa boa te ver por aqui. Beijo grande!

Bel, acho que já vi algum artigo ou mesmo livro, não sei bem certo, "Paixão emagrece, Amor Engorda", ou algo assim. Existe uma explicação em torno de endorfinas, serotoninas e outros inas, a mesma que esclarece o prazer associado ao chocolate, mas quem quer saber de explicação quando está feliz? "Fundamental é mesmo o amor..." :)

Margarida, venha sempre chover só pra ensolarar, viu!? :) Saudade gigante também.

Dona Nícia, orgulhe-se mesmo e muito. Prazer ter sua visita aqui, especialmente depois que virei sua fã através do seu livro. Beijo grande!

Laura, se teve atraso nem deu pra perceber, o importante é que você veio e ainda gostou. :) Beijãozão.

Cláudia nem precisamos voltar no tempo. Tenho a a sensação de que o jeitão da gente permanece o mesmo, isto quando não intensifica, ô.
Que bom que você quer mais. Eu escrevo às terças, intercaladas. Mas, de domingo a domingo, faça chuva ou sol, este pessoal daqui manda bem que nem te conto. Volte pra ler mais, sempre. Beijo enorme, xará.

C. S. Muhammad disse...

Gostei do texto logo de cara! Perdi-me nos comentários e fui comer uma besteira qualquer sem culpa... só agora voltei para comentar. Hummm :)

Letti disse...

C.S. Muhammad, que bom que você voltou depois de comer alguma coisa, espero que tenha sido uma guloseima bem gostosa. :) Menina, mas te contar hein, borogodó tem esse seu nome! :)
beijão e obrigada pela visita!

Gabis disse...

Minha flor, eis a contradição das contradições: estou satisfeito com o que aparento ser ou quero ser o dizem que devo ser? Gordo? Magro? Cheinho? Um caniço coberto de tríceps, bíceps e um tanquinho no abdômen? As escolhas estão postas e os afetos vêem e não vêem isso...O texto é muito gostoso. Que nem você. Beijão do Gabis.
PS: vou entrevistar minhas amigas beautys pra ver no que dá.

Letti disse...

Gabis, querido, você entende sempre o espírito das coisas. Entreviste mesmo suas amigas e depois nos conte. Delícia ver você por aqui, viu!? beijo grande!

Clotilde Tavares disse...

Cheguei aqui via Zel, onde cheguei via Denize La Reina, de quem sou súdita fiel. Assinei o feed, e vc ganhou mais uma leitora.

Lara disse...

Pois é, eu sou aquela que está sempre no limite. A falsa magra. Passo por ciclos esbeltos e outros rolicinhos. Isso porque tenho um metabolismo acelerado que me permite comer muito sem acumular tanto. E tudo depende do meu humor.

Mas o que mais gosto dessa discussão toda é que ser magra ou gorda não define beleza ou feiúra. Assim como negro ou branco. O que define a beleza plástica é a harmonia. E isso independe de formas, cores e texturas. E indo mais além, a plástica sem caráter, sendo de humor ou doçura de nada vale!
Gordinhas são lindas sim!

KaJu disse...

Adorei o texto e a pesquisa, pois deu um fundamento maior ao contexto. Mulher sempre acha q tem de perder 3kg (eu na verdade, acho que preciso perder 8kg). Não me acho gordinha, apenas não aceito minha barriga, o restante do corpo eu gosto do jeito q está. Claro que perdendo 8kg mudaria o corpo todo, mas eu creio que para melhor.
Agora falando bem sério, se eu já tenho os meus 5kg, ONDE está o meu homem?? rs!

Parabéns pelo seu blog, muito bom!!

elaine.rezende disse...

Sensacional!

Também sou do time das gorduchas e sempre estive acompanhada e nesses envolvimentos tive a consciência plena de ser amada/desejada/admirada.

Todas as mulheres passaram pela privação ou tentaram, em algum momento, mudar sua aparência.

Acontece que o tempo passa e na prática a gente entende que independente do peso, o melhor que temos é a essência e o prazer que de compartilhar e vivenciar sem culpa ou melindres o que vier pela frente.

Beijo,

Elaine

Letti disse...

Clotilde, que delícia saber que ganhamos mais uma leitora por aqui. Puxe uma cadeira e sinta-se em casa, viu!? Beijo!

Lara, harmonia realmente parece ser o segredo. Das magras, das gorinhas e das falsas magras. :) Se a embalagem é bonita mas a bala é sem gosto, não dá, né? beijo grande!

KaJu, 8 parece muito peso pra perder, menina. Comece com 3 e depois, se quiser, mais tres, vai por mim. A pergunta é dirigida para mulheres com qualquer peso, ou seja, não importa com que peso estejam não podem se incomodar de ganhar 5 kg. risos. Brincadeiras à parte, tenho certeza que seu príncipe anda por aí, hora dessas você encontra com ele. :) beijão!

Elaine, Você pensa como eu: culpa faz mal. E engorda. Beijo pra você também.

Maira disse...

Olá!!
sei que to fazendo um comentario um tanto atrasado, mas eu cheguei aqui por varios links do mesmo assunto. E não poderia deixar de parabenizar pelo texto! Excelente!

bem, hoje eu sou "normalzinha" mas fui sempre "gordinha", bolo fofo do papai! aheuehuhe
Hoje eu to dentro do tal padrão, mas não porque eu tenha lutado pra isso, sou academica de educação física e não estou "nessa" visando o corpo perfeito, estou fazendo um curso que as percepções sobre ele são sempre as mesmas, mas faço pelo desenvolvimentor motor infantil.
Bem, viajei um pouco falando de mim, mas so pra tentar introduzir um assunto: a generalização. Não me sinto diretamente ofendida quando vc diz que "as magras em geral são chatas". E aquelas geneticamente "modeladas"?
Minha melhor amiga é uma gordinha mais que sensual, me sinto um tanto humilhada ao sair com ela!
A atenção é toda dela, mas... me sinto bem, mesmo "seca" perto dela não sou encanada nadinha com meu corpo, só quando pego uma gripe e emagreçe demais!
heuheuhehuahe
Bem, Claudia,
ainda concordo com vc
mas não se não generalizasse teria sido mais certa.
:D