Pular para o conteúdo principal

CARMA >> Carla Dias >>


Leram sua vida passada. 

A partir dali, agarrou-se à certeza de que ter nascido em um corpo dedicado a castigá-la era carma. Dívida adquirida em outra vida, quando ela era desprovida de escrúpulos, pessoa incapaz de um gesto de benevolência. 

Aceitou ser merecedora das armadilhas que seu corpo vinha lhe pregando e que a mantinham condenada à solidão, já que sua saúde a desqualificava como boa companhia. 

Ela nãos fazia bem aos olhares. 

Apegou-se ao desejo de pagar essa conta, para então voltar em uma próxima vida, em forma digna de benquerença; um corpo próprio para hospedar vitalidade. 

Então, aconteceu. 

Alguém disse e ela escutou. 

Não somente escutou, assimilou. 

Não somente assimilou, aceitou. 

Daí que desacreditou Deus. Também descartou a possibilidade de vidas passadas e milagres. Abandonou as únicas desculpas capazes de ajudá-la a lidar com tamanho sofrimento. 

Restou-lhe a verdade em sua crueza. 

Não conseguiu nem mesmo mandar tudo para o inferno, já que também nele não acreditava mais.  

Imagem: Le grand adieu © Leonora Carrington

carladias.com

Comentários

sergio geia disse…
Carla, que força tem seu texto. E delicadeza. Sempre.
Analu Faria disse…
Sensacional, Carla!!!
Carla Dias disse…
Sergio e Analu, obrigada por dedicarem o tempo de vocês com meus escritos. Obrigada pelas palavras. Beijos!