terça-feira, 14 de junho de 2016

A MESMA PRAÇA, O MESMO BANCO >> Clara Braga

Cenário: sala de aula
Personagens: eu e duas alunas de 10 anos

As duas estavam em minha mesa pedindo ajuda para terminar um trabalho sobre festa junina. Quando eu pedi uma tesoura emprestada uma delas logo trouxe, mas avisou:
 - Professora, você não vai conseguir usar essa tesoura porque ela é de canhoto.
 - E agora tem tesoura diferente para destro e para canhoto?
 - Tem!
 - Que ótimo! Mas realmente, não consigo usar.

Então a outra aluna disse:
 - Deixa eu usar!

E nesse momento começou o diálogo mais engraçado que eu já tive com duas alunas em uma sala de aula.

Aluna 1: você também é canhota?
Aluna 2: sou!

Depois de ver que também não conseguia usar a tesoura, a aluna começou a rir e decidiu assumir:
 - Eu estava brincando, também não consigo usar, eu não sou canhota, sou destra.
Aluna 1: é o que?
Aluna 2: eu sou destra.
Aluna 1: alérgica?
Aluna 2: hã?

E as duas saíram da mesa aparentemente decepcionadas por não conseguirem ter um diálogo. Cinco minutos depois, a aluna 2 vem até minha mesa e pergunta:
 - Professora, o que é lésbica?
 - Lésbica? Onde você ouviu essa palavra?
 - Ué, a “aluna 1” disse que eu sou lésbica.
 Então eu, morrendo de rir, disse: vocês duas estão surdas é? Ela não entendeu você dizendo que era destra e perguntou se você era alérgica! Nunca falou de lésbica!
 - Ah tá!

Me senti sentada no banco da praça é nossa! Então, cinco minutos depois a aluna 2 volta novamente na minha mesa: mas professora, o que é lésbica?
 - Lésbica é uma mulher que namora com outra mulher.
 - E tem isso?
 - Ué, claro que tem!
 - Hum! Legal!

Bom, senti que fiz minha parte. Mas depois fiquei pensando, se a diversidade chegou até para as tesouras, porque diabos ainda tem gente no mundo que não aceita a diversidade humana?


Partilhar