quinta-feira, 19 de março de 2015

HARMONIA, SUA LINDA >> Mariana Scherma

Harmonia é minha palavra preferida. De toda a língua portuguesa – e isso quer dizer bastante, porque nossa língua tem saudade, pipoca, fofoca, beijo, enfim, várias palavras boas de dizer, palavras que fazem a gente encher a boca pra falar e são igualmente gostosas de ouvir. “Beeeeijo”, “ai que saudade!”, “tem uma panela de pipoca quentinha te esperando”, “para tudo! Tenho uma fofocaaa”, ah, que delícia elas são.

Mas harmonia me conquistou mais pelo significado do que pela sonoridade, um pouco pela grafia também, que tem esse H quase sem função sonora, é um enfeite rococó fofo. Mas voltemos ao significado, harmonia é tudo o que eu quero nessa vida. Harmonia é a melhor definição de felicidade. Viver em harmonia com o que temos, com o que somos, com o que vemos no espelho, com as pessoas ao redor, no trabalho... Harmonia é aceitar e gostar, é uma espécie de paixão mais morna, mas ainda paixão. Paixão que veio pra ficar. Harmonia não é pra qualquer um, não. Haja terapia pra você viver em harmonia. Harmonia é tão linda que até rima com terapia, olha só.

Sem contar que não há música sem essa dita-cuja. Imagine só as notas musicais brigadas, com zero harmonia, quem ia gostar de ouvir música? Eu não, você também não, aposto. Doeriam nossos ouvidos. E uma escola de samba sem harmonia, com suas alas dissonantes, seus componentes alheios entre si? Ôh tristeza. Harmonia, eu quero uma, ou melhor, várias pra viver.

Me dei conta de que essa era minha palavra ao passar pela Rua Harmonia, na Vila Madalena, em São Paulo. Fiquei pensando que máximo seria viver por lá. Romântica, imaginei que os vizinhos nunca brigaram na vida, que síndicos fossem pessoas raramente solicitadas, que as pessoas se cumprimentassem com o combo bom dia + sorriso, que os donos dos cachorros sempre recolhem o número dois feito pelos pets, enfim, sonhei. Desejei morar na Rua Harmonia. Ainda não foi possível, mas convidei a harmonia pra viver dentro de mim. Às vezes, brigamos e ela vai passar uns dias fora, mas logo volta. A gente nasceu pra viver junto.

Só agradeço por, naquele dia, passar pela Rua Harmonia e não Desgosto, Desilusão, Dor, Inveja, Colesterol Alto. Já pensou se eu invoco com uma dessas palavras como preferida?! Que o universo abençoe a Rua Harmonia.


Partilhar

Um comentário:

Paty Zanon disse...

Adorei, Mari! rs
Adoro as crônicas de vocês! Me inspiram muito, para criar as minhas =)
www.deixaeudizer.com.br

Beijos.