terça-feira, 8 de abril de 2014

E ISSO SERVE PARA O QUÊ? >> Clara Braga

— Bom dia, tudo bem? Pode se sentar, vou te fazer algumas perguntas, ok? Você toma algum remédio controlado?
— Não.
— Já precisou passar por algum procedimento cirúrgico?
— Não.
— É alérgica a algum medicamento?
— Não que eu saiba até o momento.
— Sente alguma dor crônica em alguma parte do corpo?
— Não.
— Tem diabetes?
— Não.
— Alguém na família tem?
— Sim, avó e tia.
— Pressão baixa ou alta?
— Não.
— E na família?
— Pai e mãe com pressão alta.
— Casos de câncer na família?
— Alguns…
— Ok, qual o cargo você está assumindo?
— Professora.
— Então, Clara, as principais doenças que os professores podem desenvolver ao longo da carreira são...

Nesse momento, no meu diálogo ideológico imaginário, o médico iria me explicar sobre as possíveis doenças que um professor pode desenvolver. Depois, pediria para que eu sentasse na maca e respirasse fundo enquanto ele ouviria meus batimentos cardíacos. Logo em seguida, tiraria minha pressão, me pesaria, mediria minha altura, conversaria mais um pouco sobre coisas que eu não entendo, me daria o exame que constaria "não há riscos" e me diria para voltar dentro de X meses para uma nova avaliação.

Mas como o mundo real não é muito próximo do fantástico mundo de Clara, o que aconteceu foi:

— Bom dia, Clara, pode se sentar. Quanto você pesa?
— (Informação confidencial.)
— Tem quanto de altura?
— 1,61.
— Ok, vou medir sua pressão. (Alguns segundos depois) 12 por 8, está ótimo. Pronto, está dispensada, boa sorte no novo trabalho.

Tudo bem, não vou negar que gostei da praticidade da coisa que acabou não tomando muito tempo do meu dia, mas será que isso vai funcionar para alguma coisa? Fiquei pensando, caso eu venha a ter um troço no trabalho (isola), em que diabos a minha altura, meu peso e minha pressão serão úteis? Será que existe alguma fórmula matemática que multiplicando um pelo outro, dividindo pelo MMC do primeiro e somando com a raiz quadrada do segundo pelo terceiro eles descobrem minhas possíveis doenças? Descobrem ainda o que eu posso vir a desenvolver? Caso não, pra que serve, afinal, um exame admissional?


Partilhar

Um comentário:

Eduardo Loureiro Jr. disse...

O exame admissional serve para a gente ficar sabendo a respeito do fantástico mundo de Clara. :)