domingo, 10 de fevereiro de 2008

CARTA-POEMA PARA UMA AEROMOÇA >> Eduardo Loureiro Jr.

Toño B / Stockart.com


Moça bonita que gosta do ar,


Talvez dês a todos o mesmo sorriso que desperta a vontade de te beijar. Teus braços, saídas de emergência, são asas, e o teu abraço deve ser tão bom quanto voar. Teus olhos de sombra nuvens parecem: prontas para chorar. E o choro, moça bonita que gosta do ar, é feito chuva para quem sabe banhar.


Eu sou passageiro, estou: passagem na mão e no peito. Mas levo teu cheiro e teu jeito do Rio de Janeiro ao mar de dezembro. Minha Fortaleza não tem serventia contra as meninas: Teresa Cristina, ..., Teresina. Teu nome em tua boca, moça bonita que gosta do ar, deve ter mais encantos que o nome do teu crachá.


Meu nome é Ulisses, Ninguém, sou do ar. Basta beleza para os meus olhos cegar. As minhas palavras têm ranços de um tempo em que eu vivia a guerrear. Prefiro ficar de boca fechada a lançar novos medos em teu olhar. Eu que sou leve, moça bonita que gosta do ar, peso-me com pesar.


Para quem é o contínuo aviso de não fumar? É para ti, moça bonita que gosta do ar? Qual é o teu paradeiro? E o meu destino qual é? Eu, que um dia fui velho, chego ainda a ser menino? E você, que é menina, será que em seu mais lindo sonho vai acordar? A interrogação é uma cobra encantada que se ergue do cesto de pontuar.

Beijo guardado feito bagagem, que se deslocou durante a aterrissagem,



Partilhar

6 comentários:

Marisa Nascimento disse...

Nossa! Que carta mais deliciosa de se ler! Como é bom ver uma inspiração tão mágica como essa sua! Tomara que a musa tenha, um dia, a oportunidade de ler...
Parabéns!

Anônimo disse...

� cara, vc foi fundo. Mo�a p�ssaro, bra�os de asas,q qdo lhe abra�a convida a voar???!!! E vc entra na nave e aceita o convite??? Venceu todas as provas meu grande Rei...Penelope menina de sorte....

Estrela disse...

Olá Eduardo,

Esta crónica não é só para ser lida...mas também cantada!
Tem ritmo, música e poesia, com tudo isto misturado, saiu uma obra completa...e linda. Adorei!
Estrela

Anônimo disse...

Quisera eu, moça solitária, ser a dona dessa carta. Beijos.

KATYUSKA disse...

FUI COMISSÁRIA... ME APOSENTEI NA MINHA AMADA TRANSBRASIL. UM DIA, TIVE UMA POESIA... DOCES PALAVRAS COMO ESSAS PROFERIDAS DE SEU CORAÇÃO...

QUISERA EU SABER DA SUA TEREZA CRISTINA.

Eduardo Loureiro Jr. disse...

Marisa, tomara que a musa tenha, um dia, a oportunidade de entender. :)

Anônimo, no céu todo ir é fundo. :) Vamos ver na hora de voltar para a terra de Penélope. :)

Estrela, qualquer dia desses você me canta essa melodia que ouviu?

Anônima, nós sempre somos donos do que nos julgamos merecedores de possuir. :)

Katyusca, você sabe de si, da sua própria alegria ao receber um poema, e isso é bem melhor que saber de Tereza Cristina, ..., Teresina.