LEMA >> Paulo Meireles Barguil

Alcança quem não cansa.


Esse era o lema de um lenço infantil que eu tinha quando era criança, o qual tinha a imagem de um jogador de tênis com um troféu.


Eu gostava da peça, a qual me acompanhou durante muitos anos.


Não sei se esse slogan me influenciou. 


Caso sim, desconheço a duração e a intensidade.


Hoje, pulverizado com tantas informações, o analiso e penso nas suas variações.


Alcança quem cansa.


Quem cansa não alcança.


Quem cansa alcança.


Se é verdade que o cansar depende de mim, também é que o alcançar não está sob o meu domínio.


Cansar e alcançar estão conectados, mas essa equação tem outras variáveis, inclusive algumas desconhecidas. 


Muitas pessoas propagam a crença de que precisamos acelerar para alcançar e que a meta será atingida por quem se esforçar.


Nessa mesma perspectiva, há quem brade: "Sou brasileiro e não desisto nunca!".


Embalados por esse mantra e outros similares, muitos entram nessa corrida maluca, desconhecendo ou deliberadamente desprezando o fato de que quase todos ficarão pelo caminho, pois o pódio é para poucos.


Esse desvario, contudo, não é uníssono, pois há quem sussurre: "Menos é mais!".


Qual hino você entoa no cotidiano?


O que você recita em voz baixa?

Comentários

Zoraya Cesar disse…
Q boa essa, Paulo! Engraçado q algumas coisas que nos impressionam quando ainda estamos em crescimento, tomam uma importância na nossa vida q só vamos avaliar (e, mtas vezes, reconsiderar) bem mais tarde. E quantas vezes nao somos levados ao erro por noções adquiridas nem sabemos como?
Gostei muito.
Um lema? que tal devagar e sempre. devagar é sempre.
Albir disse…
Acho que fico com o mantra do Vandré, "quem sabe faz a hora", mesmo que o faça devagar.

Postagens mais visitadas deste blog

APENAS UM RETRATO >> Sergio Geia

OK? >> Sergio Geia

CONFORTO >> whisner fraga