Pular para o conteúdo principal

PRESENTES DO TEMPO >> Clara Braga

Tive tempo!

Tinha tempo que não tinha tempo.

E como acontece quando não estamos acostumados a ter algo, não soube exatamente o que fazer.

Estou acostumada a estar do lado contrário do tempo, como se fôssemos praticamente rivais. Disputamos uma corrida que não tenho como vencer. Que ousadia a minha querer controlar algo que só o tempo controla: o tempo.

Mas o tempo, pelo visto, andou cansado e decidiu me presentear com aquela sensação gostosa de que ele se dilatou. Aliás, sensação gostosa quando de fato podemos usufruir desse momento da forma que desejamos, e não estamos presos em uma sala de espera.

Busquei rapidamente por algo que gostaria de fazer sem a pressão da necessidade, embora hoje já tenha a alegria de unir o necessário ao prazeroso. Olhei a estante de livros, quantos livros poderia começar a ler agora mesmo, sem explicar nada para ninguém. Mas como não sabia exatamente quanto tempo o tempo estava me disponibilizando, fiquei na dúvida se seria bom começar algo que eu não teria previsão de terminar.

Melhor esquecer os livros por um tempo, vamos aos filmes. Nossa, quantos filmes foram lançados e eu não acompanhei. Melhor ler rapidamente sobre um ou outro, dar uma checada no elenco, será que aqueles atores que eu gosto andaram trabalhando em algo que eu não soube? Ler algumas críticas talvez seja interessante para decidir por onde começar. Mas e se eu começar e não der tempo de terminar?

Bom, melhor procurar uma série para assistir, os episódios são menores do que um filme, a chance de terminar é maior. Mas tem que ser uma série com poucas temporadas, se não, até eu terminar, teria sido melhor assistir logo um filme com início, meio e fim. Ou então aquelas séries que cada episódio se resolve dentro dele mesmo, aí não fico com a sensação de que preciso assistir todas as temporadas, alguém conhece uma série assim?

Tempo esgotado.

Isso mesmo, o tempo que o tempo me deu acabou e eu nada fiz. Fico imaginando a cara do tempo, as pessoas sempre reclamam que ele passa rápido demais, que ele nunca disponibiliza seu bem maior de forma suficiente, mas quando ele resolve ser legal ninguém aproveita do jeito que disse que aproveitaria. 

Talvez, se eu fosse o tempo, também cuidaria do tempo com rédeas curtas.

Comentários

Unknown disse…
❤❤❤❤❤
Obrigada pelas doses diárias de crônicas maravilhosas que vcs me proporcionam.
Zoraya Cesar disse…
ai, Clara, q vc tocou num ponto fraco meu...