terça-feira, 20 de março de 2018

COMPARTILHANDO O QUE É DE VERDADE >> Clara Braga

Aluguei um apartamento! Fui buscar a chave e a simpática moça da recepção disse: acredita que esse apartamento sofreu um golpe? Antes que eu pudesse dizer: e não sofremos todos? Ela foi logo dizendo: hoje de manhã recebi uma ligação, um rapaz estava embaixo do prédio e disse que estava esperando a chave como havíamos combinado. Ela disse que achou estranho, então foi perguntando informações sobre o que ele havia combinado com a pessoa que com certeza não era ela. Foi então que o rapaz disse ter feito um depósito para garantir a reserva do apartamento, resolveu tudo online pois estava vindo de outro estado e precisava logo da chave pois estava com a mudança embaixo do prédio. A moça, que trabalha com isso diariamente, percebeu logo: ele havia sido vítima de um golpe! Alguém usou as fotos do apartamento que estavam disponíveis no site da imobiliária para criar um anúncio falso e roubar dinheiro daqueles que não podem, por motivos de força maior, resolver as coisas pessoalmente.

Coincidentemente, mais tarde no mesmo dia, vi uma postagem de um colega sobre seu projeto social e nos comentários uma pessoa duvidando da veracidade do projeto, dizendo que o modelo apresentado parecia mais um golpe do que uma ajuda a quem necessitava. Eu e todos aqueles que conhecem o projeto ficaram com raiva do comentário e também da pessoa que tem tempo de entrar na rede social para fazer um comentário desnecessário, mas não é capaz de entrar no google e pesquisar rapidamente sobre o projeto e ver que é um projeto sério.

Passada a raiva, pensei no acontecimento do apartamento e imaginei que a pessoa que perdeu seu dinheiro procurando um lugar para morar com certeza se tornou uma pessoa que quando vê um projeto social sendo divulgado na internet duvida da sua veracidade, afinal, se os apartamentos estão sendo alvo de golpe, os projetos sociais com certeza também estão.

Não estou justificando o cara, como disse antes, com uma simples pesquisa ele poderia ter evitado um comentário desagradável, mas convenhamos, verdade seja dita: se a quantidade de usuários das redes sociais que fazem pesquisa sobre a veracidade daquilo que leem e compartilham fosse alta, Fake News não era moda!

De qualquer forma, gosto de me apegar à ideia de que, mesmo nesse mundo doido em que estamos vivendo, no qual confiamos desconfiando e ouvimos cada vez mais as pessoas dizerem que não confiam nem na própria sombra, ainda existem pessoas dispostas a fazerem a diferença, existem pessoas que tocam seus projetos independente de comentários sem noção, pessoas que ajudam independente de likes e compartilhamentos, e esses sim são os que realmente fazem a diferença.

Ah, e se você estiver se perguntando o nome do projeto em questão: Eu corro, você ajuda. Vale a pena “perder um tempo” conhecendo a iniciativa.



Partilhar

Nenhum comentário: