sexta-feira, 16 de março de 2018

VOCÊ TEM VERGONHA DE QUÊ? >> Paulo Meireles Barguil


De seguir cegamente as regras ou de ignorá-las?

De não considerar os seus sentimentos ou de sequer dar atenção a eles?

De ter acabado um relacionamento duradouro por e-mail ou de não ter se despedido?

De não acreditar em Deus ou de se declarar ateu?

De ter sido sovina ou de ter sido esbanjador?

De não cuidar de você ou de não zelar pelos outros?

De ter sido conduzido pelos seus instintos ou de não tê-los escutado?

De não ter pedido desculpas ou de não ter aceitado as que lhe foram solicitadas?

De mentir para você ou de se esconder dos outros?

De não honrar as suas palavras ou de elas não serem suas?

De gozar muito ou de não atingir o ápice?

De não admirar seu corpo ou de venerá-lo?

De ter sido orgulhoso ou de ter sido honesto?

De não saber ou de fingir que sabe?

De ter terminado uma relação para começar outra ou de alguém ter feito isso com você?

De não se esforçar para alcançar seus sonhos ou de nem almejar?

De criar problemas ou de não propor soluções?

De não ter agradecido ou de ter reclamado?

De ser avarento ou de ser gastador?

De não partilhar as suas habilidades ou de usá-las para dominar o outro?

De ter se calado demais ou de ter falado em excesso?

De não se alimentar adequadamente ou de comer de forma austera?

De demorar a gozar ou de chegar rápido ao paraíso?

De não pedir algo emprestado ou de não ter devolvido o que foi cedido brevemente?

De ter ouvido demais os outros ou de ter desprezado o que eles expressaram?

De não ter acreditado em você ou de ainda não confiar?

De ter vergonha ou de não ter vergonha?


[Pantanal dos Marimbus – Andaraí – Bahia]

[Foto de minha autoria. 29 de novembro de 2015]

Partilhar

Nenhum comentário: