sexta-feira, 17 de abril de 2015

VALE-CRÔNICA >> Paulo Meireles Barguil

Para ajudar a classe trabalhadora a andar de ônibus, em 1985, a Lei nº 7.418 instituiu o Vale-Transporte.

Para incentivar a permanência das crianças na escola, a Lei nº 10.219/2001 criou a Bolsa Escola.

Para matar a fome, foi criada, pela Medida Provisória nº 2.206, de 2001, a Bolsa-Alimentação.

Em 2002, o Auxílio-Gás, mediante a Lei nº 10. 453, de 2002, incentivou a comida feita no fogão.

Ainda bem que não inventaram o Vale-Lenha!

A festa ficou mais animada com o Programa Nacional de Acesso à Alimentação, conforme a Lei nº 10.689, de 2003.

Em 2004, os quatro programas recentes foram aglutinados na mais famosa brasileira, a Bolsa Família, a teor da Lei nº 10.836.

Eles ficaram um tempo sem inventar nada, até que, em 2012, foi estabelecido, conforme a Lei nº 12.761, o Vale-Cultura.

Nos últimos anos, para impulsionar as vendas, sob o título de incentivos fiscais, eles criaram o Vale-Carro e o Vale-Eletrodomésticos.

A bonança, que tinha data para acabar, final de outubro de 2014, foi boa enquanto durou!

Ainda não inventaram o Vale-Sexo, talvez porque, para alguns, no sexo vale tudo...

Há rumores de que a ideia desse abono foi recentemente considerada, mas, diante da constatação de que haveria muita fraude no cadastro, resolveram abortá-la!

Fica aqui minha sugestão para os zelosos governantes proporem os ecológicos Vale-Ar e Vale-Água.

Eu já estou criando o Vale-Crônica...

Partilhar

Nenhum comentário: