terça-feira, 23 de agosto de 2011

SEJAMOS FELIZES >> Clara Braga

Comprei o último livro da Martha Medeiros. Fiquei instigada com o título, Feliz por nada. Acho a felicidade um tema curioso, afinal é algo que todo mundo busca e que, infelizmente para alguns, parece estar cada vez mais difícil de encontrar. Quanto mais difícil achar a felicidade, mais fácil encontrar pessoas que dizem ter a receita certa para encontrá-la.

O que achei ótimo na crônica que dá título ao livro foi que ela passa bem longe dessas receitas doidas que estão inventando. Para ser feliz não precisa acender velas, dar pulinhos, rezar o pai-nosso quinze vezes, nem nada do tipo. No livro, ela diz apenas que, quando se está feliz, sempre se tem um porquê: ou ganhou algo, ou comprou algo novo, ou arrumou um novo amor. Mas quando a novidade passa, e normalmente ela passa rápido, a felicidade passa junto. Então a solução é ser feliz por nada.

Achei isso extremamente interessante e me lembrei logo de algo que me disseram uma vez e que guardei com muito carinho. Não lembro quem me disse, mas lembro exatamente como disse: “Enquanto dependermos de coisas puramente materiais para sermos felizes, ou colocarmos nossa felicidade nas mãos dos outros, nós seremos infelizes”.

Essa foi a receita mais simples, a mais sincera e a única que deu certo comigo até o momento. Os únicos responsáveis pela nossa felicidade somos nós mesmos. Se algo ou alguém não nos faz bem, cabe a nós nos livrarmos da situação ou da pessoa. Ou seja, dizer que alguém te faz infeliz é muito fácil, e nós temos mesmo essa mania horrível de sempre culparmos os outros pelas nossas fraquezas, assim nos livramos da responsabilidade de termos que achar uma solução para o problema. Mas acreditem, por mais que pareça difícil, quando tomamos as rédeas da situação, tudo se torna muito mais simples. Depende de nós dizermos sim para tudo aquilo que nos faz bem e não para tudo aquilo que nos faz mal.

Sejamos felizes!

Partilhar

Um comentário:

Eduardo Loureiro Jr. disse...

Clara, a felicidade nunca pareceu tão fácil quanto em suas palavras.