Pular para o conteúdo principal

poemas e diamantes >>> branco





não acredito
em rimas ritmos métricas
não acredito
 em verdades trabalhadas
pois assim como o homem
que adentra a mina
e com sua picareta fere a terra
na procura pela gema
penetro dentro de mim
e procuro pela essência do que sinto
pode o minerador lapidar a pedra
ou o poeta melhorar o impulso
sem que se perca a bela e rude verdade?
essência é o bruto
assim como bruto é o estado da flor
não faço dos meus poemas
perfumes
com suas ricas e belas embalagens

minha poesia não é brilhante trabalhado
tirei a pedra opaca
e agora a mostro a vocês
e cabe a vocês a lapidarem
à sua maneira
ao modo de cada um
de vocês espero a pedra preciosa
de mim
o mínimo
sou apenas o minerador





foto :  Marcus Web


© 2018 do autor*
publicado originalmente no livro poemas de gaveta

* alterações feitas para esta publicação 


Comentários

Anônimo disse…
Um espetáculo de minerador, lindíssimo esse poema.
Carlos Eduardo disse…
Só um mago como você poderia transformar uma crítica feroz em uma poesia tão suave e bonita, sem perder o foco da mordacidade. Genial!
Wilson Aureo disse…
Você trás muitas coisas bonitas quando volta de sua garimpagem. Parabéns.
Márcio disse…
Poesia também é incomodo e com sua elegância você tem incomodado muitos. Certeiro!
Anônimo disse…
O diamante é lapidado pelo leitor...
Miriam Calfat disse…
Obrigada por acrescentar luz em uma manhã de segunda feira...escura como a noite...
Anônimo disse…
Impecável, como sempre.
Alessandra Calil disse…
Que lindo, maravilhoso poema
Parabéns amigo 👏
Anônimo disse…
Parabéns Wilson

Abraços

Elaine Franco
Anônimo disse…
A cada semana uma superação
. Sensacional.
Daniel disse…
De todos os que eu li. Este passou a ser meu preferido. Lindo demais.
Rosana disse…
Lindo e vc como minerador, sempre nos trás joias......
Anônimo disse…
Brilhante.
Quer no sentido crítico, quer no encadeamento de palavras e ideias. Sua analogia sobre a flor, ela é matéria prima, logo, estado bruto, logo, sem valor, é um achado daqueles que muito dificilmente outro escritor poderia imaginar um dia. Destes achados nasce sua grandeza.
Alcir
Rafaela R. Calil disse…
Brilhante! parabéns pelo poema!
Anônimo disse…
Grande minerador... Bravo... !
Felix Chamorro disse…
Belo poema, narrado por um minerador excepcional.Parabéns !!
Anônimo disse…
Grande texto. Grande poeta.
Renato disse…
Muito bom, são garimpeiros das letras como você que nos dão o brilho do novo, do quilates das palavras.
Anônimo disse…
Você é a pedra bruta que se transformou em diamante.
Albir disse…
Só pode REconhecer a beleza quem a conhece.
Zoraya Cesar disse…
My Lord, um dia a gente afunda de tanto se aprofundar em suas poesias...
Carla Dias disse…
Essa coisa de poesia, quando no olhar/espírito/entendimento certo, faz espetáculo, feito esse. Lindeza, Branco.