Pular para o conteúdo principal

paraísos inexistentes >>> branco


 
hoje
encontrei um véu 
caído na calçada
e minhas mãos ficaram feridas
pelos espinhos que ele escondia
limpei-as com um lenço novo
que logo se maculou
como os sujos panos de guerra

minha cara barbuda
mostra cicatrizes amargas
mas as que ainda doem tanto
são aquelas que só eu não entendo
vi um cordeiro branco
balindo
porque ele sabe
a noite
ela está para chegar

um carpinteiro
construiu uma cruz
na beira de um lago tranquilo
mas meu espírito morto sabia
que ainda deveria andar mais
e encontrar meus demônios
que me cantam
cantigas de ninar

eu vi o reflexo
de um homem
e procurei saber mais
mas antes que o reconhecesse
um espelho partiu-se
em vários pedaços

então
nada a comemorar
sem motivos
para sorrisos
cruzes e cicatrizes
é o meu presente
para você
joelhos dobrados
braços eretos
em direção aos céus
implorando
por paraísos inexistentes






ilustração (lápis em cartolina) por  ana betsa

publicado originalmente no livro 7
© 2010 do autor



Comentários

Claudio Mariitto disse…
Lindo.... profundo... toca a alma. Obrigado mais uma vez!
Carlos Eduardo disse…
Mago, de onde você tirou isso? Sensacional!
Márcio disse…
Mais uma vez eu me rendo ao seu talento. Profundo, reflexivo e autoral. Obra de arte.
Anônimo disse…
Lindo texto. Seu arsenal é grande e você sabe como usar. Parabéns e obrigado por compartilhar.
Osmar disse…
Reflexivo e interiorizado. Belas palavras Mestre.
Anônimo disse…
E de novo você se supera. Obrigado!
Solange disse…
Adorei!
Miriam Calfat disse…
Muito bom! Parabéns!!
Walter disse…
Profundo!! Como sempre cutucando nossa alma. Show!! Obrigado!!!
Irani Siqueira disse…
Maravilhosa crônica, rica e coerente! Parabéns!
Anônimo disse…
Cada verso é uma surpresa e com um final que complementa toda essa bela crônica.
Unknown disse…
Sensacional, como sempre! Parabens wirso!
Alessandra Calil disse…
Profundo e reflexivo como sempre...
Parabéns amigo👏👏
Felix Chamorro disse…
Magnífico, sensacional, reflexivo. Parabéns !!
Ana ou Hannah disse…
Lindo! Até dói...
Zoraya Cesar disse…
às vezes acho, às vezes tenho certeza... você é tocado pelo Espírito...
Rosana disse…
Profundo e reflexivo.... Belo!
Albir disse…
Dói e se impõe. É bom o paraíso quando é perdido, só questão de busca. Parabéns, poeta!