Pular para o conteúdo principal

VOCÊ TEM MEDO DE QUE? >> Clara Braga

Medos, quem não os tem?

Por muito tempo achei que medo estava ligado à idade. Pensava que eu tinha medos porque era pequena e não conhecia ou entendia a origem dos meus medos mas com o tempo isso tudo ia acabar.

Quando fui crescendo descobri algo que foi essencial para entender que todos têm medos: meus pais tinham medos. Sempre achei que eles não tinham o menor receio de nada, mas aí vi meu pai com muito medo de altura e descobri que aquele desconforto que eu sentia em lugares altos também era um medo, igual ao do meu pai.

Minha mãe dizia ter medos também, mas eu não conseguia identificar um em específico. Fiquei em um misto de curiosidade, querendo desvendar o mistério do medo, e alívio, se quando descobri um dos medos do meu pai acrescentei o medo dele na minha lista particular de medos, talvez fosse melhor não descobrir o da minha mãe, vai que eu acabo aumentando minha lista de novo.

Foi então que um certo dia, pouco depois do meu filho nascer, estava conversando com minha mãe e dizia que precisava que todos respeitassem meu espaço, pois ter me tornado mãe estava exigindo de mim mais do que eu poderia imaginar. Estava cansada e a lista de medos havia aumentado consideravelmente. Foi então que, entre as várias coisas que ela disse, ela compartilhou um de seus medos: quando se tornou mãe tinha medo de morrer antes que os filhos pudessem entender o que era a morte e simplesmente se sentissem abandonados pela mãe.

Acho que nesse dia acrescentei à minha lista o mais complexo dos medos, não só o medo de morrer e deixar meu filho, mas medo de tomar qualquer atitude que o deixasse com a sensação de abandono. Achei esse medo tão complexo que acreditei ter chegado ao fim, não tinha como acrescentar mais nada na lista. Foi então que compartilharam comigo imagens da tal boneca Momo e hoje completo duas noites em claro.

Comentários