Pular para o conteúdo principal

JOÃO, O ABAJUR E A ASTROLOGIA >> Cristiana Moura

Foi como emergir de um mergulho que de tão intenso ainda me sinto ofegante. E me deparar com um amor que era quase de verdade, que nem café descafeinado em fins de tarde.

— Dona Cristiana, cadê o abajur?
— Está dentro do guarda-roupas.
— Por quê?
— Porque eu não quero vê-lo.

Este abajur havia se mudado da casa do João para a minha. Ficou bonito ali, em meu quarto. Acontece que, naquele momento, eu carecia do espaço vazio sobre o criado mudo. Precisei ver a presença da ausência na invisibilidade do ar, o único a preencher a lacuna desabitada na lateral da cama.

Gabriel chega, me dá um abraço e ouve um pouco da ladainha comum aos fins de namoro.

— Mãe, já pode brincar?
— Não.
— Então avisa quando puder pra gente te mostrar um video.

De repente, toda a abrupta finitude de uma relação que aparentava promissora, cabia em um video de um youtuber que falava sobre astrologia e as piores combinações entre os signos.

"Áries e virgem — pode ser que dê bom, mas a chance de dar ruim... (...) Tem uma frase que descreve muito bem um ariano que é o seguinte: é melhor pedir desculpa do que pedir licença. Essa frase na cabeça de um virginiano é enlouquecedor!"*

Eu assistia ao video e ria. A vida vai fazendo essa alternância entre peso e leveza, entre afetos e dissabores. É bonito isso. Uma coisa que a finitude não nos rouba é o vivido. Uma parte em nós que honra a possibilidade da companhia do outro num dado período da vida. Continuei assistindo.

"O virginiano vai tentar controlar o ariano, porque uma coisa que virginiano gosta é controlar. E o ariano vai se sentir preso como um passarinho numa jaula (...) O virginiano vai ficar jogando um balde de água fria no ariano e o que o ariano quer, meu amor, é sair pegando fogo, pelado, no meio da rua!" *

O peito apertava ao mesmo tempo em que eu gargalhava.

Meus amigos astrólogos me perdoem, mas este rapaz do video é muito, muito bom. Mesmo que num "deboche astral", vi João, vi a mim mesma, vi toda a dificuldade de comunicação. Vi fantasias e projetos de futuros escorregando por entre os dedos e diluindo-se antes de chegar ao chão. Caiu. Não adianta abaixar e tentar pegar o que já não há. Vejo beleza, leveza e pesar no que, como que num sobressalto, se fez fugaz. Agora, disponho do tempo a ser vivido sem qualquer controle sobre o por vir, e sabendo que às dores se amaneiram os sorrisos.

E, no final das contas: "Áries e Virgem — não orna!"*


*Trechos do video as piores combinações de signos do canal do youtube deboche astral.

Comentários

branco disse…
um momento, nunca uma fase, vida feita de glimpses, palhas no vento e alternâncias. grande crônica , imensa cronista e com a qualidade que mais admiro e que costumo chamar de bittersweet.
Zoraya Cesar disse…
Que beleza, Cris, que lindeza de maneira de dizer adeus à dor "Vi fantasias e projetos de futuros escorregando por entre os dedos e diluindo-se antes de chegar ao chão.". Esse pedaço se ilustrou em minha mente. Trouxe memórias. E, acredite, limpou um bocado de lembranças. Obrigada!
Cristiana Moura disse…
Branco, Zoraya, Grata pelas palavras.

E vamos limpar o que precisar ser limpo!
Lu Cumade disse…
CrisCumade linda... sou sua fã de vida real vivida a tempos por nós com cumplicidade, leveza e profundo amor... novamente repito aqui minha admiração a sua deliciosa forma de escrever profundidades existenciais tão cruas com poesia e beleza com uma clareza de arder nos olhos!! Te amo!