terça-feira, 2 de janeiro de 2018

NESSE ÚLTIMO NATAL >> Clara Braga

Natal não é sobre dar presentes, todos dizem! E, realmente, as pessoas têm razão, não é só sobre dar presentes, eu diria, mas é também sobre dar presentes!

Estar junto de quem a gente ama, confraternizar, compartilhar momentos, rir, nada disso tem preço e seria lindo que a gente não esperasse o natal para ter momentos assim. Mas receber um presente, abrir uma caixinha ou um pacote também tem sua magia. 

Acho que quando as pessoas dizem que natal não é sobre dar presentes estão falando sobre a questão comercial de se presentear. Mas nem todo presente gira em torno da questão financeira.

Sempre pensei assim e comecei a ter certeza de que estava certa quando troquei presentes pela primeira vez com meu marido. Quando completamos um mês de namoro eu tinha algo que ele gostava muito e ele tinha algo que eu também gostava. Sem que combinássemos absolutamente nada nem esperássemos que o outro fosse fazer algo, ele embalou sua câmera antiga e eu meu vinil do Deep Purple. Não gastamos nenhum tostão, mas o significado desses presentes ia muito além do dinheiro que poderia ter sido gasto. 

Hoje já trocamos outros presentes, mas as vezes temos muita dificuldade de lembrar o que demos um ao outro de aniversário ou de natal, mas essa primeira troca, a mais simples de todas, foi a que ficou inesquecível.

Anos depois estamos com nosso filho de três meses no nosso primeiro natal como pais e, mais uma vez, tivemos a prova de que o valor emocional de um presente não é equivalente ao seu valor em dinheiro. Amei cada um dos presentes que ganhei, não trocaria nada e tudo me vai ser muito útil, mas abrir uma sacola cheia de lenços umedecidos, na atual circunstância, foi uma verdadeira declaração de amor.


Partilhar

Nenhum comentário: