terça-feira, 9 de janeiro de 2018

ESSE ANO EU VOU... OU NÃO! >> Clara Braga

Na manhã do dia 31 de dezembro de 2016 eu estava em um quarto de hotel na beira do mar me arrumando para ir a praia. Mas antes, liguei a televisão para assistir à São Silvestre. Assistir essa corrida já fazia parte da rotina do dia 31, já que meu pai sempre acompanhou, mas nesse ano o sentimento era um misto de saudade, empolgação e nostalgia, pois no ano anterior eu estava lá participando da corrida.

Ver aquela quantidade de pessoas super empolgadas por terem escolhido terminar o ano correndo me fez jogar para o universo a minha vontade para o ano que logo iria começar: ano que vem vou correr de novo e melhor do que ano passado. Mal sabia eu que meu filhote já estava crescendo dentro de mim e que, por isso, logo eu estaria trocando os treinos para provas por leves trotes e caminhadas que me permitiriam ter um parto um pouquinho mais tranquilo.

O ano foi passando, setembro chegou, meu filho nasceu e eu nem pensava mais na corrida. 3 meses depois pude voltar a pensar em correr e voltar a fazer meus treinos. E no dia 31 de dezembro de 2017 estava eu em casa, com meu filho no colo, assistindo à mais uma São Silvestre. Difícil não ficar ainda mais nostálgica, repensar o ano que passou e, mais uma vez, jogar a vontade para o universo: ano que vem vou correr de novo, mas dessa vez vai ser empurrando o carrinho do filho.

Logo depois pensei: será que é uma boa jogar essa vontade para o universo? A última vez não deu certo! E então cheguei a seguinte conclusão: sempre vale a pena vibrar positivo para as coisas que a gente deseja que aconteça, pois se elas não acontecerem é porque algo muito melhor veio de surpresa no meio do caminho, mesmo que no início seja difícil entender que esse algo é melhor. Não adianta terminar um ano já querendo que o ano seguinte esteja todo planejado, o que vale é focar no que você quer que aconteça e, ainda assim, estar aberto a novas possibilidade, pois se tem uma coisa que eu aprendi em 2017 é que em qualquer dia ou mês do ano pode surgir a possibilidade de se começar um ano novo. 


Partilhar

Nenhum comentário: