quinta-feira, 15 de junho de 2017

ESTREIAS>>Analu Faria

Um vestido de verão, mesmo sendo inverno. Um novo encantamento com o mundo. Dançar forró depois de anos. Sair sozinha depois de anos. A notícia da amiga: "Estou grávida". A notícia da família: "Sua avó faleceu". Uma nova serenidade com o mundo.  Estreamos no corpo uma emoção nova, o mundo estreia em nós uma vontade nova. Não é só o rio que é novo a todo o tempo. O corpo no rio é novo a cada segundo.

Que atire a primeira pedra quem nunca deixou um verão passar diante dos olhos, sem ter aproveitado a estação. Que atire a primeira pedra quem deixou a rotina ofuscar o brilho do mundo. Que atire a primeira pedra quem não teve vergonha de dançar, vergonha dos pés, vergonha dos braços, vergonha. Que atire a primeira pedra quem não se sentiu meio estranho, meio fascinado, meio medroso ao sair sozinho, sem um parceiro, pela primeira vez depois de anos. Que atire a primeira vez quem não se emocionou com a gravidez dos amigos. Que atire a primeira pedra quem não sentiu o chão fugir dos pés quando ouviu a notícia da morte de um familiar.

Que atire a primeira pedra quem nunca quis que o corpo fosse o mesmo, que o rio fosse o mesmo.

Que atire a primeira pedra quem nunca teve medo das estreias do mundo. E quem nunca se maravilhou com elas.








Partilhar

Um comentário:

Zoraya disse...

Belíssimo e poético texto, Analu! Demais.