terça-feira, 12 de novembro de 2013

APENAS UMA OPINIÃO >> Clara Braga

Confesso estar um pouco receosa sobre essa crônica, pode ser uma daquelas crônicas que você escreve e depois as pessoas vão entender de qualquer jeito e você leva a fama de malvada. Mas de qualquer forma, gostaria de compartilhar algumas angustias minhas.

Ontem eu vi um homem fazer a propaganda de um filme que me deixou um pouco pensativa. O filme se chama Blodd Money - Aborto Legalizado, e, segundo algumas sinopses que eu li, mostra fortes situações relacionadas ao aborto nos EUA após 40 anos de legalização. Só o tema em si já é polêmico, quer esquentar uma discussão é só falar de religião, política ou aborto. Mas o que me deixou pensativa foi a forma como o cara fez a propaganda. Ele dizia, de uma forma até um pouco alterada, não só que todos deveriam assistir ao filme, como também deveriam divulgar o filme e convidar pessoas para assistirem, pois só assim nós estaríamos revelando a realidade sobre o aborto e poderíamos, então, lutar pela vida dessas crianças que estão para nascer e acabam tendo suas vidas interrompidas. 

Esse comentário dele me fez lembrar de um texto que eu li e de um comentário que uma amiga minha fez sobre a situação dos ativistas que invadiram o laboratório para libertarem os beagles. Eu não sou a favor do teste em animais, também gostaria que esses testes fossem realizados de uma outra forma, mas querendo ou não, existem os testes fúteis e existem os testes que podem salvar vidas de pessoas. Bem como existem pessoas que são contra os testes, mas que precisam trabalhar com isso para sustentarem suas famílias.

Bom, enfim, antes que alguém comece a pensar que eu sou a favor do teste em animais, vou direto ao ponto que interessa. Se estamos nos tornando, finalmente, tão ativos para reclamar, lutar pelos nossos direitos, expor situações ilegais, clamar pelo fim da corrupção, insistir no direito dos animais, abrir os olhos do mundo para a situação da diversidade, entre outras coisas, não seria a hora de olharmos uns para os outros e lutarmos também pelas pessoas que estão vivas e que passam por situações absurdas de miséria, de falta de informação, de fome e diversas outras situações?

Se vamos ser humanos para lutarmos pelos animais, porque não podemos ser humanos para ajudarmos as pessoas que, agora, estão sem seus empregos e passando por situações financeiras difíceis? Se vamos lutar para que os beagles possam viver em paz, porque não podemos protestar para que exista um financiamento para pesquisas que desenvolvam outras formas de se fazer testes que não usem animais, seja esse animal um beagle ou um rato, não interessa! Se vamos lutar contra o aborto, pois já chega de interromper a vida de crianças que estão para nascer, porque não separamos um pouco do nosso dinheiro ou um pouco dos nossos pertences que nem usamos mais para doarmos a uma família que optou por não fazer o aborto, mas que agora está dando uma vida de miséria para aquela criança? Se vamos ser a favor da diversidade, porque não cuidamos de certas atitudes nossas que as vezes, até inconscientemente, são um pouco preconceituosas?

Sei que é polêmico e sei que agora muitas pessoas podem estar querendo me matar, mas acredito que toda história tem mais de um lado, e quando lutamos por algo temos que estar cientes de tudo que envolve esse nosso ato. Por isso, mais uma vez, faço questão de dizer que não disse em nenhum momento que sou a favor dos testes em animais ou a favor do aborto! O que estou dizendo é que as vezes acho que somos muito humanos para muitas coisas, mas pouco humanos com o humano ao nosso lado.


Partilhar

3 comentários:

Camila Mariano disse...

Maria, concordo plenamente com o que você disse.
Quando estudei direito, este foi um tema bastante comentado em diversos debates, "a legalização do aborto". Ouvi absurdos de pessoas que são contra, como um rapaz que dizia que até em caso de estupro deveria ser proibído o aborto, por se tratar de uma vida; ouvi absurdos de pessoas à favor, pois "nenhuma criança tem direito de estragar a minha vida no momento em que não quero".
Sou a favor em casos de pessoas pobres que não possuem informações ou condições financeiras de dar uma vida ao menos digna para uma criança. É um assunto complicado, mas imagino que se o aborto fosse legalizado, muitas mulheres não morreriam por se arriscar em abortos em clínicas ilegais.

Anônimo disse...

Concordo plenamente com você Clarinha, temos que agir, ter postura de acordo com nossas opiniões, não é somente falar da "boca pra fora".
Beijo
Ceiça

Anônimo disse...

Acho que Deus deu a diferentes pessoas distintas missoes. Alguns de ajudar pessoas e outros e ajudar osanimais, e ainda alguns de ajudarem ambos! se voce pensa mais nas pessoas e acha tudo que api esta escrito, entao parabens sua missao é a de ir a luta pelas pessoas e ajuda-las.