MIOJO NOSSO DE CADA DIA >> Clara Braga

Outro dia, enquanto fazia aquela lavagem com álcool das compras que meu marido havia feito, encontrei entre as comidas três pacotinhos de miojo. No mesmo momento em que eu pegava os pacotes para lavar, ouvi meu marido falando da sala: viu o que eu comprei? 

Bom, ver eu vi, mas foi difícil acreditar. Miojo? Por que comprou miojo? Bom, a explicação era simples: ele teve um momento nostálgico no mercado e quis relembrar o sabor da adolescência.  

Enquanto eu lavava os pacotinhos, também acabei tendo um momento nostalgia. Lembrei, inclusive, que muitos adultos perguntavam: por que você não compra macarrão normal ao invés de miojo, é tão simples quanto? Mas a verdade é que eu nunca soube responder a essa pergunta, só dizia: sei lá, prefiro miojo. 

Nesse momento, percebi que se tinham 3 pacotinhos, provavelmente meu marido pretendia dar um para nosso filho. À princípio, fui contra. Mas enquanto discutíamos a possibilidade dele comer ou não aquela iguaria, ele mesmo passou pela cozinha, abriu um pacotinho e decidiu dar uma mordida no miojo ainda cru.  

Fala sério, se você foi adolescente nos anos 90 ou início dos anos 2000, e tinha o miojo como parte da sua alimentação, então você também teve seu momento nostalgia após ler sobre essa cena, afinal, quem nunca comeu miojo cru? 

No fim das contas, demos o miojo para a criança faminta (cozido), mas sem aquele sachê que diz ter sabor, mas que no final ficam todos iguais – o famoso gosto de miojo - . Mas o melhor de todo esse momento regado à histórias de vida que tinham o miojo como pano de fundo, foi que eu finalmente entendi porque compramos miojo e não um macarrão qualquer que fica pronto no mesmo tempo: pois um macarrão qualquer não dá para ser comido cru.  

Aquele ditado que diz que o apressado come cru é inimigo do adolescente. Adolescente quer mais é comer cru mesmo, pois às vezes, comer ocupa um tempo precioso no qual eles poderiam estar fazendo outras coisas, então, nada melhor do que abrir, comer e resolver os problemas daquele momento.  

Agora, enquanto adultos, melhor manter os exames de sangue em dia, vai saber o que essa quantidade de sódio fez com a gente. Não estou colocando tudo na conta do miojo não, longe de mim, mas vai dizer que você não adorava quando chegava sábado e você tinha aquele aniversário no Mcdonalds com a presença de todos os amigos do Ronald?

Comentários

Albir disse…
O miojo tem mesmo um lugar na vida de todos. Lá em casa virou comida de doente. Quando alguém não queria comer, com febre ou náuseas, a gente oferecia: só um miojinho!
Paulo Barguil disse…
Esconda o garfo quem, com mais de 30 anos, nunca comeu um miojo!
HAHAHAHAHA

Postagens mais visitadas deste blog

Vizinha Fake News >>> NÁDIA COLDEBELLA

O PASTOR >> Sergio Geia

Conceição >> Alfonsina Salomão