quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

SUJEITOS >> Carla Dias >>


E o tempo de amadurecer o trato com o mundo? Com o outro?

Mundo que vem sendo subjugado por projetos e alvejado por projéteis. Suas pessoas sendo empilhadas, sangue e confetes, porque adoçar o olhar de quem sente a fome comê-lo por dentro é projeto de resistência daquele que mantém para si o poder de reduzir aos seus a meros serviçais dos próprios desmandos.

E por onde anda a liberdade? Que a cada quarteirão a violência nos acua. Dobramos as esquinas do absurdo com mais frequência. A alma da gente vai se esgarçando de um jeito triste de se ver. De se sentir.

Apesar das alegrias que as oportunidades nos servem, daquelas de surpreender, os despautérios andam mais afiados do que nunca. A vida se protege como pode, curvando-se, indócil, às tentativas ostensivas de ser violada, amortecida, extirpada.

Sobreviver anda sendo tarefa árdua. Sobreviver não deveria ser coisa de diariamente. Quem vive tão somente de sobreviver?

Ainda assim, sobrevive-se. Sobrevivem, Sobrevivemos. E talvez a única esperança válida seja que, durante essa batalha a que fomos submetidos, possamos encontrar uma forma de reaver a vida, com nossos direitos respeitados, respeitadores dos direitos dos outros. Com oportunidades não somente de ficarmos bem, mas de ficarmos bem em um mundo mais justo, no qual sobreviver não se torne rotina. No qual a violência não seja vista com naturalidade.

Imagem: Children at Play © Asgrimur Jonsson

carladias.com



Partilhar

2 comentários:

Zoraya disse...

As oportunidades existem. Só nao conseguimos alcançá-las... Lindo texto, como sempre!

Carla Dias disse...

Zoraya, minha cara, as oportunidades são umas loucas, mas eu as adoro mesmo assim. :) Beijos.