terça-feira, 7 de novembro de 2017

APRENDENDO A VIVER EM UM MUNDO COM BEBÊ >> Clara Braga

Tornar-se mãe é só saber falar sobre maternidade. Tá aí uma afirmação que eu sempre questionei, sempre achei que mesmo sendo mãe você não pode deixar sua vida de lado. Mordi minha língua e entendi que só se fala sobre maternidade pois só se vive a maternidade.

Mas engana-se quem acha que só viver a maternidade é algo tedioso, nunca em um único mês eu aprendi e vivi tantas coisas.

Para começar pelo mais simples, descobri que pelos próximos anos não vou pegar uma blusa na gaveta que não tenha uma marca da última golfada que ele deu.

Entendi que o famoso conselho "quando ele dormir, durma também" é lindo na teoria, mas quase impossível de ser colocado em prática. Quando ele dorme você escolhe entre dormir também, comer, tomar banho ou viver um pouco. Isso quando você não está dando atenção para alguma visita. Mas é sempre bom lembrar que cochilos de 15 minutos são essenciais para sua sanidade mental.

Lavar o cabelo todo dia é luxo. Aliás, descobri que minha mãe não era louca quando dizia que 10 minutos são mais do que suficientes para tomar banho.

Falando em mãe, entenda de uma vez por todas: a culpa é sempre da mãe. Você vai se sentir culpada por tudo, e os raros momentos que você não estiver se sentindo culpada alguém vai fazer com que você se sinta.

Você não acredita em mandingas, mas depois de dez minutos de um bebê irritado por causa de soluço você dá um jeito de arrumar uma lã vermelha e colocar na testa dele com cuspe.

Não existe ideologia que se sustente depois de uma semana sem dormir. Acordar de hora em hora não é mole, rapidinho você esquece todo seu discurso sobre chupeta ser ruim e coloca uma na boca do seu filho para ele dormir um pouquinho mais.

Você jura que sabe várias músicas infantis até ter que cantar.

Você vai se perceber mais nostálgica do que nunca e, de repente, viver em um mundo sem Sandy e Junior torna-se algo muito ruim. Sorte que a Xuxa voltou a fazer shows.

Ir ao pediatra é um baita evento, afinal, as vezes você passa tanto tempo em casa que esquece como é a rua.

Amamentar pode não ser tão mágico quanto dizem que é.

E, para terminar por enquanto, afinal, preciso de material para as próximas crônicas, descobri que a expressão "dormir que nem um bebê" sempre foi usada de forma errada, na verdade ela significa que você acorda, no mínimo, de três em três horas, ou seja, é quase sinônimo de insônia.


Partilhar

Nenhum comentário: