sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

COMPAIXÃO >> Paulo Meireles Barguil


"Apesar de tudo, Jesus dizia:
'Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que estão fazendo!'”
Lucas 23, 34
 
Depois de várias chicotadas físicas e emocionais, Cristo, embora fragilizado, permaneceu firme.
 
Em meio à máxima dor, Ele continuou a nos ensinar.
 
Somente a Luz consegue ver, através do corpo, singelo véu, a alma.
 
O vício de julgar o outro expressa, cristalinamente, o quão cindido está o censor, embora ignore tal fato.
 
É por esse motivo que Jesus, sem cessar, orvalha sobre nós gotas de compaixão.
 
Somente quem acolhe a si pode abraçar o outro, ao invés de afastá-lo.
 
A mão, antes tão célere para apontar e destruir, agora, apressa-se para aconchegar e cuidar.
 
A língua, outrora demasiada áspera, converte-se em ondas sedosas.
 
A origem e o destino de todos nós é o mesmo: AMOR.
 
Que privilégio é mergulhar, enfim, nesse oceano.


Partilhar

Um comentário:

Rosa disse...

Me senti orvalhada por esse Amor de Deus, as palavras saltaram para dentro do meu coração...Obrigada