quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

CARMA>Analu Faria

Todas as rodas da vida foram entrelaçadas com todos os possíveis momentos que o tempo dá. Por isso todas as combinações possíveis existem, todas as possibilidades estão abertas. Eu e você somos um ponto nas infinitas retas, nas infinitas curvas das incontáveis combinações possíveis. 

Somos embaraço natural na teia da existência. "Se você maltratar seu irmão, virá como irmão dele novamente, em outra encarnação." No emaranhado das vidas que se seguem a outras vidas, ninguém pode dizer isso. "Aqui se faz, aqui se paga" é coisa de cristão hipócrita. Ninguém sabe a hora nem a forma do retorno.  "Sabemos que o carma existe, só não sabemos como ele funciona.", dizia o mestre budista.

Ah, mas que dilema quando aquele que te fez sofrer está agora em sofrimento! Aflito nas mesmas condições que arquitetou - sim, intencionalmente - aquela dor que te atormentou! Que sentimentos estranhos e contraditórios se confrontam na cabeça, no coração, no fígado! O anjo no meu ombro direito diz: "você já tinha esquecido isso, não se suje ao sentir prazer na dor alheia." O diabo, do lado oposto, afirma e dá fé que, se não tripudio e nem demonstro, é permitido, sim, senhora, sentir aquele gostinho doce de vingança divina.

Durmo pensando que não deveria haver anjos nem diabos. Apesar de eu, em horas de manifestação de (pseudo)carma, admitir com uma boa dose de culpa que acho ótimo a existência dos diabos.


Partilhar

Um comentário:

Zoraya disse...

Hehe, espero que a pessoa tenha feito por merecer seu prazer, Analu. Ainda estou no meio do caminho evolutivo. Satisfaçao por justiça divina. Sim, perfeito, é o q sinto, criatura imperfeita q sou. Mas vou melhorar!