ACELEROU!! >> Clara Braga

Já tem um certo tempo, quando baixei o aplicativo do Telegram no meu celular, que fiquei curiosa para entender o porquê que muitas pessoas preferiam esse aplicativo ao WhatsApp.

Era uma curiosidade besta, mas foi o suficiente para eu ir pesquisar sobre. Descobri que no primeiro aplicativo, mesmo que você faça parte de um grupo, seu número de celular não fica disponível para todos os participantes, o que garante mais a sua privacidade. Achei bem interessante, e já me parecia o suficiente para que grandes grupos fossem montados lá e não no outro aplicativo.

Mas lembro de ter encontrado também muita gente dizendo que preferia o Telegram pois ele tinha a opção de acelerar as mensagens de áudio. Então, toda vez que alguém precisava mandar um texto muito longo, mandava um áudio e, se não fosse algo de extrema importância, que demandasse uma atenção plena, você poderia ouvir mais rápido!

Eis que o WhatsApp parece ter entendido que essa era uma demanda de seus usuários, e então atualizou o aplicativo e colocou o acelerador de áudios. Desde então, acompanhei vários textos, muito interessantes por sinal, que questionavam a necessidade de acelerar mais uma coisa em nossas vidas!

Já vivemos ligados no 220, já somos bombardeados com informações por todos os lados, vivemos estressados, será que o que precisamos é acelerar ou pausar?

Todos esses questionamentos fizeram total sentido para mim, embora eu tenha ficado supresa com a reação das pessoas, achei que todos comemorariam tal atualização, já que esse era um ponto que fazia o outro aplicativo melhor.

Mas preciso confessar uma coisa, pensei mais do que devia nesse assunto, pois não consigo compreender uma questão: quando foi que nós paramos de decidir quais recursos/ferramentas disponíveis vamos ou não utilizar e passamos a ser dominados por eles, a ponto de saber que, se pode ou não acelerar, eu vou acabar acelerando, mesmo que isso não seja benéfico para mim? Será que ainda temos algum domínio das nossas atitudes em relação à tecnologia que nos cerca ou já fomos dominados e essa é uma guerra perdida?

Bom, não sei, achei preocupante, pode ser que tenhamos perdido uma batalha, mas não custa tentarmos fazer o uso das ferramentas com um olhar crítico um pouco mais apurado! Se é que o olhar crítico ainda existe…

Comentários

Sandra Modesto disse…
Entrei no telegram e nem uso. Muitos aplicativos pra ocupar espaço no celular. Realmente, a tecnologia é algo inovador e importante. Mas às vezes o mundo virtual nos corta possibilidades de viver o mundo real do cotidiano.
Albir disse…
Perfeito, Clara!
Atendemos à ordem de acelerar, mesmo quando queremos e precisamos parar. Aonde vamos chegar?
Zoraya Cesar disse…
Isso mesmo, Clara! Usamos o q está à mão só por estar lá, muitas vezes sem necessidade, pq estão solapando nosso olhar crítico. Mas nao percamos as esperanças. Olha vc, dando exemplo!

Postagens mais visitadas deste blog

APENAS UM RETRATO >> Sergio Geia

OK? >> Sergio Geia

CONFORTO >> whisner fraga