VIRTUDE >> Paulo Meireles Barguil

Cada cabeça uma sentença.


Há séculos, usufruímos desse direito, em importantes e vis situações, mesmo quando não verbalizamos.


status de uma característica, de um acontecimento não é absoluto, pois aquele varia de acordo com a pessoa que interpreta.


O que para umas é um defeito, para outras é uma virtude.


O que para umas é uma benção, para outras é uma desgraça.


Vivemos, individual e coletivamente, entre certezas e hesitações.


De modo geral, as primeiras são vistas como sinais de fortaleza.


E as segundas como manifestações de fraqueza.


É com elas que cavalgamos e vagamos.


Não pense, contudo, que as primeiras aceleram a caminhada e as segundas a atrasam.


A depender do destino, pode ser mais adequado demorar.


Seria a dúvida, outrora um estorvo, uma dádiva?


Em um mundo repleto de mistérios e paradoxos, talvez a gente precise de outro lema.


Cada cabeça uma lambança.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A CORUJA >> Sergio Geia

RESGATE DO PASSADO parte 2 - UMA AVENTURA DO DETETIVE SEM NOME >> Zoraya Cesar

A CASA DO VIZINHO >> Sergio Geia