GRACIOSAMENTE VIL >> Carla Dias


É dela me arrancar do macio sossego de não me importar e lançar-me ao abismo das ilusões esmagadas, dos retrocessos irrefutáveis. Quanto prazer em aumentar a temperatura das discórdias, contemplar o desespero dos outros. A beleza da crueldade a veste tão bem, com um requinte que consterna e encanta ao observador. Medianamente provida da capacidade de sentir pelo outro carinho mais encorpado. Prefere o enlevo temporizado, cada fase com período máximo de um tempo no qual caibam um breve esgar e um coreografado dar de ombros. Na boca, esconde palavras proferidas somente em momentos catárticos, de quando o prazer vem em extrações suaves, no mais agudo da dor do outro.  Usa a inteligência que lhe cabe para estagiar brevemente em desesperos alheios. Seu corpo se esgueira em total harmonia com o incrédulo. Ela parece uma remontagem colérica de medos e anseios ancestrais, que estreiam em espetáculos inéditos, como se já não tivessem praticado, com sucesso, os seus estragos.


Imagem © Max Ernst

carladias.com


Comentários

Zoraya Cesar disse…
"Quanto prazer em aumentar a temperatura das discórdias, contemplar o desespero dos outros. A beleza da crueldade a veste tão bem, com um requinte que consterna e encanta ao observador."

Dizer o que diante de mais um texto clássico de Carla Dias, a Princesa das Palavras, a observadora de almas.
Carla Dias disse…
Obrigada, Zoraya. <3

Postagens mais visitadas deste blog

O PASTOR >> Sergio Geia

Vizinha Fake News >>> NÁDIA COLDEBELLA

Conceição >> Alfonsina Salomão