sexta-feira, 7 de julho de 2017

QUANDO O DEPOIS É AGORA >> Paulo Meireles Barguil


"Todos os dias quando acordo
Não tenho mais o tempo que passou
Mas tenho muito tempo
Temos todo o tempo do mundo"
(Renato Russo, Tempo perdido)

Uns falam: "Não deixe para amanhã  o que você pode fazer hoje!".

Outros provocam: "Não faça amanhã  o que você pode deixar para depois de amanhã!".

Qual sábio conselho adotar?

Há quem siga o primeiro para o lazer e o segundo para o trabalho.

Quem prefira o contrário: adia o prazer e antecipa o labor.

E quem, com gosto eclético, que ora escolhe o primeiro, ora escorrega para o segundo...

Diante da vida tão sutil e efêmera, a Humanidade criou vários formas de medi-la.

Relógios diversos — solar, de água, de areia, mecânico, digital... — e calendários variados  — Chinês, Judaico, Maia, Juliano, Islâmico, Gregoriano...

Mas a dúvida persiste: antecipar ou procrastinar?

Para resolver esse dilema, acho que, por ora, vou esconder — jogar fora seria muita estripulia! — o ponteiro das horas...


Em breve, vou surrupiar, também, o dos minutos...


[Relógio da Torre Bissara — Vicenza — Itália]
 
[Foto de minha autoria. 12 de março de 2013]
 
 
[Relógio da Torre de Mangia — Siena — Itália]
 
[Foto de minha autoria. 16 de março de 2013]


Partilhar

Nenhum comentário: