Pular para o conteúdo principal

REVOLUÇÕES CIBERNÉTICAS >> Clara Braga

A primeira e única vez que participei de uma live, já estávamos de quarentena à pelo menos 10 meses! Até hoje não sei quem esteve e participou dessa live, pois conversar e ler os comentários ao mesmo tempo, foi simplesmente impossível para mim!

Já reuniões online eu participei de duas, ainda é pouco, mas prefiro olhar pela perspectiva que mostra que foi o dobro de lives. Uma era de fato uma reunião e outra era o aniversário de uma amiga. Porém, as plataformas usadas para cada reunião foram diferentes, o que fez com que eu sofresse em dobro, pois quando aprendi a usar uma, já estavam usando outra!

O aniversário online, como era mais descontraído, não me preocupou muito! Mas a reunião realmente me deixou um tanto nervosa, pois foram necessários uns 30 minutos no qual eu mal respirava para não atrapalhar quem estava falando e rezava 30 ave marias em 1 minuto pedindo à Deus para que a cachorra não latisse, até descobrir onde ficava o botão para deixar o microfone no mudo!

Outra coisa que realmente me deixou perturbada foi a dinâmica de aumentar e diminuir a imagem de quem está falando, chega uma hora que parece que o computador está em transe! Me dá uma vontade real de fechar os olhos e só ouvir, mas acho que não seria muito delicado da minha parte!

E é justamente esse medo de ser indelicada que me deixa nervosa. Agora, aumentou a necessidade da minha participação em algumas reuniões, e quando isso já estava sendo um incomodo para mim, vi uma moça comentando não acreditar que até agora ainda existam pessoas que não aprenderam a cartilha dos bons modos das reuniões online! Amiga, eu não aprendi nem a entrar na sala de reunião, ainda tenho que saber os bons modos?

Já pesquisei sobre esses bons modos e só encontrei sobre o microfone mudo e a necessidade de levantar a mão quando quer a palavra, para não interromper o outro. Mas isso não me ajuda muito, já que eu nunca quero a palavra em reuniões. Acredito que devam ter mais tópicos, afinal, uma cartilha com apenas dois pontos não me pareceu muito inteligente. Então, se alguém puder compilar esses tópicos em um arquivo e disponibilizar o pdf para download, vou agradecer. Enquanto isso, vou ficar só balançando a cabeça positivamente e fingindo naturalidade.

Comentários

Dei risada com seu texto Clara! Eu dou aulas online e sofro com os alunos que não botam o video, é terrível passar duas horas falando para uma tela negra e imaginando o que eles estão fazendo do outro lado! Também detesto quando eles escrevem no chat no lugar de falar, corta minha atenção, e às vezes é pra ler umas bobagens... A vista cansa mesmo de ficar olhando pra tela... espero que a gente saia dessa normalidade de reuniões online antes da cartilha ficar pronta ;)
Nádia disse…
Hehe.
Muito legal esse texto

Eu nao gosto muito de aparecer quando participo de algo, sou da turma do fundão, mas se me dão a palavra, já era. É mais ou menos como entrar numa briga. Não entro de jeito nenhum, mas se entrar, só saio depois de bater em todo mundo.

Dei algumas aulas, como palestrante, aí até fica fácil, porque quando a gente palestra somos novidade. Por outro lado, resolvi começar outra faculdade (online) e desisti. Era muito enfadonho.

O meu drama é que eu confesso que adorei essa onlinidade toda. As lives, aquela mesma que a senhorita participou, tem sido algo muito legal, nem tanto para "aparecer" (ainda bem que é praticamente a cabeça e não dá pra ver os danos da quarentena), mas pra conhecer vcs.



Esquece o manual. O jeito é fazer como a gente faz na vida.

bjka!