Pular para o conteúdo principal

O USO DAS PALAVRAS E AS PALAVRAS EM USO >> Clara Braga

Grandes acontecimentos geram grandes mudanças. Não podemos afirmar se essas mudanças serão positivas ou negativas, mas não podemos negá-las. Assim como não podemos negar que grandes acontecimentos coletivos geram grandes mudanças coletivas.

Sim, esse é um texto sobre a pandemia, outro texto sobre a pandemia. Mas prometo que vou compartilhar uma perspectiva diferente. Se você já chegou até aqui, te convido à ir até o fim, serei breve.

Você já parou para reparar as mudanças que a pandemia proporcionou ou intensificou no nosso vocabulário? Para me explicar, começo do básico: vamos pensar sobre a palavra quarentena. Antes, essa palavra não era motivo de aflição e pouco estava relacionada à questões econômicas. Ah, também é preciso ressaltar que ela normalmente se referia à um período de, aproximadamente, 40 dias. Embora isso nunca tenha sido uma regra, hoje, no nosso "novo normal", parece até piada.

Já que mencionei o fato de que o uso da palavra quarentena agora pode gerar angústia e aflição, vou apresentar a segunda palavra que vem sendo usada em massa nos últimos tempos: gatilho.

Se antes, ao ouvir essa palavra, já vinha à sua cabeça a imagem mental de uma arma, agora a imagem mental passou a ser de um alerta, uma sirene ou algo do tipo. E é justamente isso que a palavra passou a significar: um alerta de que aquele texto ou vídeo contém conteúdo forte.

Outra palavra que eu raramente usava era aglomeração. Hoje em dia, quando nos deparamos com um grupo de cinco ou mais pessoas juntas, já falamos logo em tom depreciativo: lá vai o povo aglomerar! Então, fechamos a cara e desaprovamos a situação, mas no fundo, adoraríamos estar aglomerados também!

A própria palavra pandemia não era tão usada. Era comum em livros de história ou usada por cientistas que tentavam incansavelmente nos alertar de que essa palavra não era coisa do passado, mas como ninguém levou à sério, estamos sendo massacrados diariamente pela palavra e seu significado real.

Bom, não vou me alongar, prometi ser breve e serei. Quem sabe, se vocês não se incomodarem, eu faça uma parte 2 desse texto. Mas não posso me despedir sem antes fazer uma pergunta: antes da pandemia, vocês falavam que alguém tinha uma comorbidade ou uma doença? 

Comentários

Nadia Coldebella disse…
Aglomeração era uma palavra q eu usava meio q metáforicamente, qdo eu queria dizer q fulano ou beltrano enrolavam e procrastinação demais, juntando um monte de coisa pra fazer. O mundo apesar do isolamento está muito aglomerado!
Nunca fui de aglomeração, agora estou tendo crises de ansiedade toda vez q chego em lugar cheio. É bastante interessante essa lista de novos significados. Faça sim a parte dois. Não esqueça de live...
Gde bjo!
Zoraya Cesar disse…
hahaah, Clara, a palavra 'gatilho' já aperta um em mim, o da raiva! Mto bom, quero parte 2 sim.
Carla Dias disse…
Esperando a parte 2. :)
Outro dia, falava com um amigo pelo WhatsApp e ele disse que precisava finalizar a conversa, porque alguém tinha chegado. Me despedi e disse: nada de se aglomerar. Ele tirou o barato da minha cara: aglomerar com uma pessoa?
Para mim, essa palavra ganhou significados diferentes. Tem a aglomeração que é a reunião de um monte de pessoas, aquela que, juntou-se com alguém no mesmo cômodo, está aglomerando, e aquela que substitui uma monte de convites sedutores, porque nada como dizer a alguém: quer aglomerar comigo?
Paulo Barguil disse…
Inspirando no título e no texto, fiquei pensando no desuso das palavras e nas palavras em desuso no contexto atual. ;-)
Essa lista também é interessante...
Albir disse…
Que interessante, Clara!
Aguardo a segunda parte.