CHEIRO DE MÃE >> Sandra Modesto

 

Dizem que mãe tem cheiro. De macarronada, de feijoada, de galinhada, de avental sujo de ovo, e por aí vai.

Eu não sei de nada. Minha mãe não gostava de cozinhar, mas cozinhava.

Que chá de canela era aquele, mãe?

Quente pela manhã. Gelado ao entardecer. A arte culinária dominada por minha mãe. Eu não domino. Tentativas desistentes. Esse cheiro de chá de canela está histórico na minha memória.

E o perfume da minha mãe?

De alfazema.

Sim. Jamais vou esquecer. Um frasco grande com estampas da planta, que era só abrir.

Passar nas mãos, e dá licença, que eu passava a minha lavanda no corpo inteiro, até abaixo do meu umbigo, espalhando entre minhas coxas grossas. Perto do meu ponto de prazer.

Atualmente, há no mercado, diversos tipos de perfumes com um monte de aromas. .  Mas eu só gostaria de sentir hoje , o cheiro de alfazema que minha mãe comprava, colocava o frasco na penteadeira. A vida era tocada. Havia algum som. Havia... Tanta dor espalhada no meio do caminho.

 Eu querendo minha Alfazema.  Alfazema que a minha mãe sempre tinha na pele dela. Mas...

Nessa vida cheia de confusão, estamos a sete dias do dia das mães. O comércio de repente, não mais que de repente, terá um lucro.

Juro que eu faria um empréstimo para comprar vários frascos de Alfazemas bem grandes, que é para ver se eu tenho sorte, de resgatar o toque suave na pele da minha mãe.

Companhia de mãe é uma parceria sem fraude. Sem golpes. É poder de mulher. Direito Talvez possível.

Conquista de filha. Saudades da mãe. 

Desejo por perfume de alfazema. (insisto)

Foi por causa desse cheirinho gostoso, que eu jamais vou esquecer minha mãe.

Por isso eu sou fascinada em perfumes.

Vão - se as mães ficam seus cheiros.

 

Crônica do meu segundo livro: TUDO EM MIM É PROSA E RIMA. Publicado em 2019 pela Editora Autografia.

 

Comentários

sergio geia disse…
Que cheiro de mãe saboroso!
Sandra Modesto disse…
Obrigada, Serginho.
Laércio disse…
Tem alguns cheiros que nos marcam mas cheiro de mãe impregna, entra pelos poros da pele e pelas narinas. Bela crônica. Parabéns!
Zoraya Cesar disse…
que relato sensível, toca em todos os corações. Nossos amados t~em cheiros, e a memória alfativa é uma realidade. Lembrar do cheiro de mãe é um privilégio. Esse comércio de dia das mães só serve pras pessoas se darem conta do bem que possuem. Por tão pouco tempo...
Albir disse…
Sei que é confuso, mas fiquei com saudades da mãe que felizmente ainda tenho.

Postagens mais visitadas deste blog

DIAS MELHORES >> whisner fraga

O MENINO DA MEIA PRETA >> Sergio Geia

O PAVÃO AZUL >> Sergio Geia