ANGÚSTIA >> Sandra Modesto

 

Gostava da calmaria antes de tudo se perder

Do gesto suave ás vezes sem hora marcada

Sem medo

Mesmo olhando o luar sobre nossas cabeças encostadas e ofegantes de amor

Gostava quando o silêncio não era o fim

E nessa vida repentina, choro, velas, insônias.

Nem o café é doce

Nem o cheiro é vivo

A gente cruza o passado e o agora

Entende que o coração abandona o barco

Sem leme, sem poemas bonitos.

O peito abafado

A brutalidade dos dias

O ano catando a cantoria perdida, naquela emoção de que tudo vai diminuir. Afinal, são mais de três anos tramados pra o país acabar. Desde o fatídico janeiro de dois mil e dezenove.

Houve momentos de desespero, choros, exaustão.

Onde foi que nos perdemos e porque perdemos tanto?

A angústia de cada dia

A angústia virando a doença emocional nessa dança brasileira de lutar contra o tempo

Nos arranjos e perrengues, lágrimas melando o rosto enrugado ainda que essa ruga não seja protagonista.

Mas é uma ruga, é uma coluna em desvio no meio do cais sem rumo.

É uma mãe desesperada procurando comida pra dar aos filhos, osso, restos de dias sem aconchegos, abafam palavras.

Quando as mudanças climáticas eram apenas diversão resenhada em abraços e sorrisos

Na imensidão de tantas memórias, desenho angústias, nessas travessias transtornadas e bêbadas.

Sem escapatória, alguém faz terapia.

Alguém não tem o que contar para quem contar. Dói o peito, dilacera uma dança da mísera poesia. Eu reescrevo uma ilusão. Enfim, se eu não catar minha força perante o abismo existente, deixar meu péssimo gosto de realismo não vai dar. E ninguém notará o meu vestido vermelho.

A esperança vem chegando, a esperteza dos abraços se abarcam e todos os espaços angustiados, serão aos poucos, batidas esperançadas.

O amor vencerá. Com pegadas de abraços e beijos da autora numa manhã qualquer.

Comentários

Zoraya Cesar disse…
"a gente cruza o passado e o agora entende que o coração abandona o barco". Amei isso. E o melhor foi o fechamento de esperança, q nunca pode faltar. Boa leitura pra começar o domingo.
Laércio disse…
Entro o domingo me deparando com essa belíssima crônica.
"O amor vencerá com as pegadas de abraços e beijos..."
Albir disse…
De novo a esperança para vencer o medo e o ódio. Mas ainda há perigo na esquina!

Postagens mais visitadas deste blog

CONFLITO >> whisner fraga

GIRÂNDOLAS, MADRIGAIS, SUBLIMAÇÃO >> Sergio Geia

ALUGUEM OS MORTOS >> whisner fraga