(IN)DISPONÍVEL >> Paulo Meireles Barguil

Entre direitos e deveres, (sobre/sub)vivemos.


Há pessoas que, independentemente da idade cronológica, acreditam que o Universo existe para lhes satisfazer.


Comprometidas com o seu prazer, elas não se preocupam com o bem estar alheio, apenas, é claro, se isso lhe beneficiar.


Para outras a vida é uma infindável jornada de tarefas, realizáveis ou não, pois são reféns de condições materiais e/ou psíquicas extremamente adversas. 


Obrigadas a comer dos frutos obtidos do suor do seu corpo e da pureza da sua alma, elas, raramente, conseguem, sozinhas ou com a ajuda de alguém, pagar o resgate e se libertarem do fardo insuportável.


Poucas são as que equilibram, mesmo com frequentes e inesperadas oscilações, os aspectos constituintes do existir.


Atentas e cuidadosas, elas se sabem intimamente ligadas a todas criaturas e ao Cosmos, motivo pelo qual são comprometidas com a mutação do mundo, que reputam como histórico, ou seja, não determinado.


Sem dúvida, atender as múltiplas e contraditórias demandas do seu id, superego e ego é um grande desafio individual.


Qual é o seu cliente preferencial?


Para quem você é (in)disponível?

Comentários

Nadia Coldebella disse…
Texto sensacional! Andar equilibrado na corda bamba é a parte mais difícil de existir!!!
Zoraya Cesar disse…
Uaaauuu, trazer essas questões no bolso e sacá-las a cada dia e respondê-las com honestidade... baita desafio. Mas a recompensa é uma vida mais rica. Seus textos, Paulo, sempre surpreeendentes!

Postagens mais visitadas deste blog

O VELHO CANTOR >> Sergio Geia

MELANCOLIA >> whisner fraga

FEIJOADA NO SIMEÃO >> Sergio Geia