TENTATIVAS >> Whisner Fraga

 tentei.

talvez sem a devoção, sem o esforço obrigatório,

os dedos reagiam aos calos, as notas se rebelavam,

não havia mais os de casa pra me incentivar com reparos,

com críticas, maledicências, essas coisas de família,

fui encontrar a engenharia, o silêncio, os enganos,

devia saber desses meus afetos e se enciumou,

a música não aceita concorrências,

tinha uma vergonha de significados, de vozes, 

depois busquei a bateria, o piano, o canto,

e, óbvio, só havia a falta de talento, de coordenação, de faro,

como se ela me implorasse: só escuta, 

põe valor em perceber, é o que lhe cabe,

fazia vinte e cinco, quem sabe trinta anos,

mas quis rememorar as teclas: bella ciao,

eu e a menina iniciamos a toada,

é assim, é assim, experimentamos,

percebendo que as colcheias prezam também a alegria:

não me arrependo.

Comentários

Albir disse…
Que belo passeio, Whisner, pelas notas!
Paulo Barguil disse…
A alegria das tentativas.
Mesmo das que não frutificaram como desejado.
Celebrá-las, mesmo que efêmeras.
Obrigado, Whisner, por me lembrar da importância delas.

Postagens mais visitadas deste blog

APENAS UM RETRATO >> Sergio Geia

OK? >> Sergio Geia

CONFORTO >> whisner fraga