FAZER? OU DESFAZER... >> Carla Dias


Sabe não sobre o que falar.

Dizer palavra para quê? É tanto tanto faz que muito daquilo no qual acreditava que sabia – de verdadeiramente saber – caiu de amores pelo desdito, amparando-se em banalidades açucaradas, arrancadas de desejos rejeitados, arranjos desnecessários, buscas de perder tempo. 

Anda com desapego ao que nem era apego, mas importância condenada à condição de descartável, aquilo sobre o que o tudo há muito sabia, até segurar a mão do desentendimento e se assumir desentendido.

Sabe nem sobre o sentir, que emoção anda essa coisa equivocada, não importam as verdades que a amparem. Que benquerença – na genuinidade do seu despudor – deu de ficar ensimesmada, temerosa que anda de ser enviada aos arrabaldes da vadiagem e lá se perder, minguada, sedenta, em um para sempre de frenesis e ranhuras.

Fazer o que se benquerença é essa coisa-fragilidade, que se recolhe nas esquinas da sofreguidão, quando tiram dela a certeza de não ser apenas uma desculpa para prazeres breves e esquecíveis.

Sabe sobreviver, com mais eficiência do que gostaria. Sobrevive, diariamente, a si. De quando as palavras valem tão pouco, que melhor nem tentar enredá-las em pronunciação. De jeito que o compartilhamento se torna acessório para versar maleficências eleitas como necessidades que nunca serão. De quando o olhar se desvia, como que pedindo demissão da beleza de observar profundamente, assim se esbaldando em um raso entendimento sobre o que enxerga. 

De quando o corpo dói por falta de abraço, de caminhada, de ir o mais longe possível, quando ficar no mesmo lugar é emudecer.

Fazer? Ou desfazer...

Imagem © Autorretrato do ilustrador Hannes Bok, (domínio público)

carladias.com       


Comentários

Zoraya Cesar disse…
Carla, tive de reler. Boa demais pra se ler só uma vez. "lá se perder, minguada, sedenta, em um para sempre de frenesis e ranhuras.", é apenas uma das preciosidades q vc, sempre generosamente, espalha em seus textos.
Albir disse…
"...melhor nem tentar enredá-las em pronunciacão", olha aí outra pérola, Zoraya!
Carla Dias disse…
Zoraya e Albir, vocês são ótimos e gentis. Sim, não consigo deixar de mencionar a gentileza de vocês com os meus escritos. Beijos!
Paulo Barguil disse…
Uma crônica para desfazer o privilegiado leitor, convidando-o a caminhar, sem importar o destino.

Postagens mais visitadas deste blog

APENAS UM RETRATO >> Sergio Geia

OK? >> Sergio Geia

CONFORTO >> whisner fraga