Pular para o conteúdo principal

CAMINHO >> Paulo Meireles Barguil


"Um menino caminha e caminhando chega no muro
E ali logo em frente, a esperar pela gente, o futuro está
E o futuro é uma astronave que tentamos pilotar,
Não tem tempo nem piedade, nem tem hora de chegar
Sem pedir licença muda nossa vida, depois convida a rir ou chorar"
(Toquinho, Aquarela)


Para alcançar algo, muitos dizem ser indispensável saber para onde está indo.


Uns falam que o importante não é a meta, mas como você anda.


Outros, após afirmarem a irrelevância do destino e do caminho, defendem a primazia do viajante.


A jornada segue, a despeito de partida de umas e da chegada de outras, bem como das verdades antagônicas. 


A incerteza nos afeta, motivo pelo qual usamos técnicas, instrumentos e simpatias para diminuir o impacto (que acreditamos) desagradável e incrementar o (que cremos) agradável.


O futuro ignorado será o presente que abriremos e, pouco depois, o passado que nos acompanhará.


Deito-me na varanda de casa, que não tem grade e muro na sua frente, e vivencio a eternidade.


[Escadaria de Monte Berico – Vicenza – Itália]

[Foto de minha autoria. 13 de março de 2013]

Comentários

Reflexões bastante pertinentes para um começo de ano, obrigada :)
Albir disse…
Lembra o poeta Antonio Machado:
"Caminante, no hay camino. El camino se hace al caminar."
Carla Dias disse…
Só consigo me render à beleza dessa poesia que inquieta e deslumbra.