terça-feira, 23 de outubro de 2018

SINTO MUITO, PROFESSOR >> Clara Braga

Passou o dia do professor, acabou o dia de dizer que respeita e admira a profissão, de lembrar com saudosismo de um professor que te marcou, de pedir melhorias e respeito. Passada a data, gostaria de deixar aqui minha admiração e meus sinceros sinto muito a todos os colegas de profissão.

Sinto muito pelas aulas duramente planejadas que foram simplesmente ignoradas pelos alunos.

Admiro quem não desiste de estar sempre planejando uma aula diferente e dinâmica para garantir a atenção de pelo menos metade da turma e não se deixa abalar pela falta de respeito.

Sinto muito pela quantidade de alunos que preferem ficar com fone de ouvido ouvindo música.

Sinto muito por ter que abrir mão de estar com sua família para comparecer a eventos escolares pouco valorizados pelos alunos e pais.

Admiro quem, além de todo o trabalho necessário para desenvolver sua aula, ainda planeja festas, formaturas, saídas de campo e outros eventos.

Sinto muito por todas as reuniões de pais nas quais você teve que ouvir que a culpa do mal desempenho de certo aluno era sua. Sinto mais ainda pelas reuniões que nem pais tinham para reclamar de algo.

Admiro quem, ainda assim, busca energia para correr atrás dos pais de certos alunos.

Sinto muito por ter que tirar dinheiro do próprio bolso para ter material para trabalhar nas aulas.

Sinto muito pelas condições de estrutura. É desumano exigir a atenção de 40 alunos que se não estiverem prestes a derreterem de calor em suas cadeiras extremamente desconfortáveis estão mortos de fome, esperando apenas a hora do lanche.

Sinto muito por serem sempre tão mal falados quando fazem greve pedindo seus direitos.

Admiro imensamente quem não se intimida e põe a cara a tapa.

Sinto muito quando duvidam de sua autonomia e do seu senso crítico para questionar e barrar materiais didáticos que você considere inadequado para seus alunos, caso eles existam.

Sinto muito por você que já foi ameaçado por um aluno que não ficou feliz com sua nota e agora teme por um aumento da violência no seu ambiente de trabalho.

Sinto muito por você que é parte de uma classe considerada doente e que recebe críticas constantes pela quantidade de atestados que necessitam sem que ninguém entenda que isso é reflexo de uma sociedade também doente.

Sinto muito por você que precisa ser professor, mãe, pai, psicólogo, assistente social, amigo e varias outras coisas de alunos que são vítimas de ambientes violentos que estão prestes a se tornarem ainda mais violentos.

Sinto muito por você que está entendendo que estamos prestes a passar por um momento extremamente difícil no nosso país, mas que não abre mão da educação como ferramenta de transformação e libertação. Você merece toda a admiração do mundo.


Partilhar

Nenhum comentário: