Pular para o conteúdo principal

PRONOMES >> Sandra Modesto

 

Ela chegou sem calcinha, disposta a conquistar desejos insanos, era nua a decisão, foi direto ao ponto. Mostrando dedos molhados, lábios de cima a baixo. 
 
Ele? Chegou meio sem jeito, com um nó no peito. 
 
A despeito de encontrá-la tão diferente, pensou em desistir de tudo, mas... 
 
Tudo era absurdo ao lado de alguém, e o alguém estava ali. 
 
Ela se fez toda ela. Disse de tudo, do mais profano ao profundo, do mais modesto ao insolente. 
 
Meio sonso ele colocou-a no colo, beijou-a por todos os lados, quis por inteiro, o que sempre o deixou exausto de prazer. Fez dela o desejo guardado. 
 
Murmúrios, gritos, gozos. O amanhecer gemeu. 
 
Um olhou para o outro e fizeram mais. Suaram mais. 
 
Bobagens ao pé do ouvido, lambidas atrás da orelha, enfiadas, aberturas, cenas filmadas que dariam um filme pornô. 
 
Nada mais interessava. A vida descruzada com o tempo? O amor refeito após tantos anos? Tantos fatos? 
 
Ele abriu o espumante, ela encarou a taça. 
 
Naquele momento, ele se lembrou - Ela gostava de cerveja. Com espuma. Travesseiros se espalharam em meio a tantos quereres. 
 
Água salgada escorrendo na pele. 
 
Agora… Sem promessas eternas. 
 
Ela e ele não tinham nomes. Eram apenas fragmentos de amor. 
 
Amor em mim. 
 
 
(Texto escrito em 2016. Em 2017 venceu o concurso - Ituiutaba Inter ação, categoria crônica. Está publicado no meu segundo livro: Tudo em mim é prosa e rima, editora Autografia, 2019. Eu fiz uma reedição para o Crônica do Dia)

Comentários

whisner disse…
Uma crônica muito bem escrita, Sandra. Adorei.
Sandra Modesto disse…
Obrigada, Whisner. É muito gratificante ler seu comentário.
LAERCIO HUMBERTO DA SILVA disse…
A crônica prende a gente a tal ponto que chegamos a fazer parte dela. Muito bem conduzida e envolvente de uma tal maneira que não queremos que tenha fim. Gostei muito!
Sandra Modesto disse…
Obrigada, Laércio. Seu comentário me faz bem.
Albir disse…
Que intenso, Sandra! Adorei.
Zoraya Cesar disse…
Mereceu o prêmio, Sandra! E o final, ótimo!
Sandra Modesto disse…
Obrigada, Zoraya.Seu comentário foi meu prêmio.